14 Out, 2021

Dor nas costas: as 5 dúvidas mais frequentes

A dor nas costas afeta cerca de 150 mil portugueses, sendo essencial promover o esclarecimento sobre esta condição.

A propósito do Dia Mundial da Coluna, que se assinala a 16 de outubro, a campanha “Olhe pelas Suas Costas” procura responder às cinco dúvidas mais comuns sobre este problema que afeta cerca de 150 mil portugueses, não devendo ser desvalorizado.

“As doenças da coluna vertebral são a causa mais relevante de anos vividos com incapacidade em todo o mundo. A dor nas costas é um dos principais motivos que levam à perda de dias de trabalho, sendo que cerca de 80% da população terá pelo menos um episódio ou uma crise de dor nas costas ao longo da sua vida. Sendo tão comum, é natural que as pessoas tenham várias questões que gostariam de ver esclarecidas”, afirma o neurocirurgião, Bruno Santiago.

Neste sentido, a campanha esclarece a população sobre as questões associadas à dor na coluna. À questão “O que é que causa a dor nas costas?”, os especialistas afirmam que a sua origem “é muitas vezes difícil de identificar, uma vez que existem inúmeras possibilidades. As dores podem ter origem nos músculos, no tecido conjuntivo, nos ligamentos, nas articulações, na cartilagem, nos discos ou até nos nervos”.

No que diz respeito ao período de duração de um episódio de dor nas costas, “na esmagadora maioria dos casos a dor desaparece passado até um mês ou menos”. No entanto, “se a dor persistir mais do que quatro semanas está indicada uma avaliação médica”.

Relativamente ao meio utilizado para o alívio da dor nas costas, “tanto o calor como o frio podem ajudar”. Ainda assim, “é importante saber quando utilizar cada um”. “O gelo reduz a inflamação ou o edema (inchaço), diminuindo o fluxo sanguíneo de vasos sanguíneos constritos. Se for colocado até 48 horas após o início da dor, pode ajudar a aliviá-la. Depois das 48 horas iniciais, o calor pode ajudar a acalmar e relaxar os músculos das costas doridos”.

Para saber qual a postura a adotar no sentido de evitar lesões nas costas, deverá ser opção uma “cadeira na qual as ancas fiquem ligeiramente acima dos joelhos reduz a tensão lombar”. Do mesmo modo, para alcançar um objeto, “utilizar um banco para conseguir chegar a objetos que estão acima do nível dos ombros” também auxilia neste aspeto.

Para quem tem dores nas costas, “o médico de cuidados primários (médico de família) é o mais importante na avaliação inicial, para prescrever medicação que atenue a dor, recomendar exames complementares quando necessário e identificar o especialista ou tratamento mais diferenciado para cada situação”.

A Campanha “Olhe pelas Suas Costas” tem o apoio científico da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral (SPPCV), Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia (SPN), Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia (SPOT), Associação Para o Estudo da Dor (APED), Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral (APMGF) e Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação (SPMFR).

ler mais

RECENTES

ler mais