14 Jan, 2021

Diabetes em discussão amanhã na Assembleia da República

A Assembleia da República  vai discutir amanhã, na sua reunião plenária, sete projetos sobre quatro temas que a Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal.

A Assembleia da República  vai discutir amanhã, na sua reunião plenária, sete projetos sobre quatro temas que a Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP) considera fundamentais, na resposta às necessidades das pessoas com diabetes.

Em comunicado de imprensa, enviado pela APDP, sabe-se que as propostas em discussão, com especificidade na diabetes tipo 1, partiram de duas petições recolheram em conjunto  cerca de 20 mil assinaturas.

Estas propostas passam pela criação de um registo nacional da diabetes tipo 1, um projeto de resolução do PS que partiu de uma proposta da APDP e que serve para construir uma estratégia de apoio às pessoas com diabetes tipo 1. Outra das medidas pretende o alargamento da comparticipação das bombas de insulina a pessoas com diabetes tipo 1 com mais de 18 anos, com quatro projetos de resolução (BE, PAN, PEV e CDS), uma petição que partiu de Sérgio Silva, do grupo DiabéT1cos, apoiada pela APDP e pela Associação Mellitus Criança.

“As pessoas com diabetes requerem apoio em diferentes frentes e a comparticipação das bombas de insulina não é exceção. Com esta medida será possível alargar o acesso dos adultos com diabetes tipo 1 a um dispositivo que permite um melhor controlo da doença, reduzindo complicações presentes e futuras e garantindo uma melhor qualidade de vida.” destaca o diretor clínico da APDP, João Filipe Raposo.

 

“A diabetes afeta mais de um milhão de portugueses, dos quais 56% já diagnosticados e 44% ainda por diagnosticar”, segundo o presidente da APDP, José Manuel Boavida.

 

“Face a estes números os custos com a diabetes são elevados e, em 2018, o impacto direto foi estimado entre 1.300 e 1.550 milhões de euros, o que representa 0,6 a 0,8% do PIB português, representando ainda 8% da despesa em saúde em 2018. Note-se que a maioria destes custos são das complicações e das descompensações, que são possíveis de prevenir e tratáveis. Estes projetos são assim um caminho para que todas as pessoas com diabetes tenham acesso aos cuidados necessários sem custos incapacitantes ou seja à sua protecção e bem estar” refere o presidente da APDP.

Para dar resposta a estas necessidades, um dos projetos que estará em discussão amanhã respeita o reforço dos cuidados ao doente com diabetes, um projeto resolução do PCP.

Por fim, está ainda em cima da mesa a bonificação, por deficiência, do abono de família para que volte a ser atribuído a crianças e jovens até aos 24 anos, independentemente de serem portadores de deficiências incapacitantes ou não incapacitantes, como a diabetes. Um projeto lei da Iniciativa Liberal e que partiu de uma proposta da associação no âmbito da discussão sobre o Orçamento de Estado, procurando repor uma situação que estava em vigor até 2019 e que foi retirada sem qualquer aviso, discussão ou sequer justificação.

 

Notícias relacionadas:

ler mais
target="_blank"

RECENTES

target="_blank"
ler mais