4 Ago, 2022

Cientistas restabeleceram circulação sanguínea em porcos mortos

Técnica usada nos porcos pode vir a ser utilizada para prolongar a vida dos órgãos para transplante, apesar de estar a suscitar questões éticas.

Cientistas restabeleceram a circulação sanguínea em porcos mortos, assim como outras funções celulares. Chamada OrganEx, a técnica utilizada pode vir a prolongar a vida dos órgãos para transplante, de acordo com os investigadores da Universidade de Yale, nos EUA.

A primeira experiência aconteceu ainda antes da pandemia em 2019, quando a equipa conseguiu restaurar a função celular no cérebro dos porcos algumas horas após a sua decapitação. Na última investigação, publicada na revista Nature, os responsáveis pelo estudo causaram um ataque cardíaco em porcos anestesiados, interrompendo o fluxo sanguíneo. Após uma hora, injetaram um líquido que continha o sangue dos animais (retirado em vida) , assim como uma forma sintética de hemoglobina e medicamentos.

Durante seis horas foi possível assim restabelecer a circulação sanguínea e o funcionamento de órgãos vitais nos porcos mortos, tais como coração, fígado e rins.

Contudo, a técnica utilizada levanta várias questões, como médicas, éticas e até filosóficas, sobretudo porque todos os porcos fizeram fortes movimentos com a cabeça e o pescoço durante a experiência. A causa para tal facto é ainda desconhecida.

A origem destes movimentos permanece desconhecida, mas os investigadores garantiram que em nenhum momento foi registada atividade elétrica no cérebro. Enquanto os estudos prosseguem, a técnica tem trazido a debate a questão da definição de morte em Medicina.

SO/NATURE

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais