3 Nov, 2021

Cardiologistas alertam para a diabetes como um fator de risco para o enfarte

A prevenção e controlo adequado da diabetes é um passo fundamental para a prevenção do enfarte agudo do miocárdio, confirmam especialistas.

A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) lançou um alerta para a importância da adoção de estilos de vida saudáveis como forma de prevenção ou controlo da diabetes, uma vez que esta doença é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de um enfarte agudo do miocárdio (EAM).

“Segundo dados do Registo Nacional de Cardiologia de Intervenção (RNCI), de 2020, 20% do total de doentes com EAM, sujeitos a angioplastia primária, são diabéticos. Destes, 68% são homens. A média de idades é de 67 anos. É importante que as pessoas estejam atentas, que adotem estilos de vida saudáveis e que consultem frequentemente o seu médico assistente, como forma de prevenir estas duas doenças, que podem trazer consequências graves para a sua saúde ou até levar à morte”, afirma o presidente da APIC, Eduardo Infante de Oliveira.

“A diabetes é um dos fatores de risco para o EAM. As formas de prevenção e de controlo da diabetes são também formas de evitar o enfarte. Reduza o consumo de açúcares e melhore os seus hábitos alimentares. Caso contrário, para controlar a doença, o seu médico terá de o medicar ou, caso já faça terapêutica, de aumentar a dose dos fármacos ou, até mesmo, de lhe prescrever insulina. Alie esta mudança à prática de exercício físico de forma a manter um peso saudável”, salienta o coordenador nacional da iniciativa Stent Save a Life, João Brum Silveira.

Com o objetivo de promover o conhecimento e a compreensão sobre esta condição cardiovascular e os seus sintomas, alertando para a importância do diagnóstico atempado e tratamento precoce, a APIC desenvolveu a campanha de consciencialização “Cada Segundo Conta”, com o apoio do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da iniciativa Stent Save a Life, da APIC.

ler mais

RECENTES

ler mais