Bruxelas fala em ‘progressos limitados’ sobre controlo das despesas de saúde em Portugal

A Comissão Europeia divulgou esta quarta-feira, 7 de março, um relatório que destaca as desigualdades no acesso aos cuidados de saúde em Portugal como um problema ainda por resolver.

Ainda que reconheça algumas melhorias, Bruxelas considera que Portugal fez “progressos limitados” no controlo de despesas de saúde no país, de acordo com os dados divulgados no Relatório Pacote de Inverno do Semestre Europeu.

Na análise que a Comissão Europeia publica esta quarta-feira sobre a situação económica e social nos Estados-Membros, que integra os progressos na aplicação das recomendações específicas por país e uma avaliação dos possíveis desequilíbrios, as desigualdades registadas no setor Saúde em Portugal continuam a ser um problema. O relatório sublinha ainda que Portugal é um dos países com maior percentagem de desempregados entre os 15 e 64 anos e em risco de não terem acesso a cuidados médicos (10%).

“Sucedem-se as entidades que sublinham o constante subfinanciamento do Serviço Nacional de Saúde e o Governo insiste em ignorar os indicadores. O acesso à Saúde está hoje de tal forma fragilizado que não há mais como fingir que é urgente encontrar uma solução”, afirma Miguel Guimarães. “É lamentável Portugal continuar a ser exemplo pelos piores motivos”, remata o bastonário da Ordem dos Médicos, citado em comunicado.

COMUNICADO/SO

ler mais

RECENTES

ler mais