12 Fev, 2021

Associações querem doentes de Fibrose Quística na primeira fase de vacinação

Associações dizem que a esperança média de vida dos doentes” é atualmente de 47 anos” nos EUA e "ainda menor" em Portugal.

[A foto faz parte do projeto fotográfico Salty Girls, que retrata dezenas de mulheres com fibrose quística]

Duas associações nacionais de Fibrose Quística defendem a revisão urgente da norma que exclui da primeira fase de vacinação contra a covid-19 os doentes com menos de 50 anos, por estes terem uma esperança de vida inferior.

O apelo a que as autoridades de saúde façam “uma revisão urgente da norma que inclui os portugueses com Fibrose Quística na primeira fase de vacinação contra a covid-19, mas apenas se tiverem mais de 50 anos”, partiu da Associação Portuguesa de Fibrose Quística (APFQ) e da Associação Nacional de Fibrose Quística (ANFQ), numa carta endereçada ao Ministério da Saúde e à Direção-Geral da Saúde.

Em comunicado, as duas associações divulgaram dados que indicam que, nos Estados Unidos da América (EUA), a esperança média de vida das pessoas com Fibrose Quística (FQ)” é atualmente de 47 anos” e em “Portugal “é ainda menor”.

Em causa estão, segundo as associações, cerca de 400 doentes diagnosticados com a doença que “tem uma maior incidência nas crianças e jovens, ao contrário de outras doenças pulmonares como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC)”.

 Nos EUA  “a Cystic Fibrosis Foundation e os Centers for Disease Control and Prevention dos EUA recomendam que as vacinas estejam disponíveis para pessoas com 16 anos ou mais, com condições de saúde subjacentes que possam colocá-las em risco aumentado de complicações graves por infeção por covid-19, incluindo Fibrose Quística”, sublinham as associações.

Em Portugal alguns doentes com menos de 50 anos “estão em fase de pré-transplante, transplante, sob oxigenioterapia de longa duração ou ventilação não invasiva domiciliária”, sendo o risco de internamento por infeção pulmonar superior”, pode ler-se no comunicado.

Daí que, para as suas associações, a norma em vigor “não faz sentido”, dado que tratando-se de doentes com uma esperança média de vida inferior a 50 anos, “a vacina contra a covid-19 só os irá proteger se a puderem levar mais cedo”, refere Manuel Herculano Rocha, presidente da APFQ.

Citado no mesmo comunicado, o presidente da ANFQ, Paulo Sousa Martins, vinca que “estes motivos justificam o pedido de alteração à norma”, por forma a permitir que os portugueses doentes com Fibrose Quística, “maiores de 16 anos sejam incluídos na primeira fase de vacinação.”

 A Fibrose Quística é uma doença hereditária rara causada por mutações nas duas cópias (herdadas uma do pai outra da mãe) de um único gene que codifica a proteína CFTR e que afeta as vias respiratórias.

ler mais

RECENTES

ler mais