São números que mostram o envelhecimento do quadro médico do SNS. Cerca de 10 mil dos 18 835 médicos do SNS têm mais de 50 anos, segundo dados revelados pelo mais recente do Relatório Social do Ministério da Saúde e do SNS, citados pelo Diário de Notícias.

Por outro lado, quase metade (cerca de 8 mil) têm já mais de 55 anos, idade em que os médicos podem prescindir de fazer urgências. Se por um lado há poucos profissionais com 30 anos ou menos (apenas 160), por outro existe uma grande concentração depois dos 60 anos – 63 anos é a idade mais comum (com quase mil médicos).

A fuga para o privado de profissionais com experiência mas que têm ainda uma longa carreira pela frente (entre os 40 e os 50 anos) está a refletir-se no SNS. Foi nesta faixa etária foi mais médicos se perderam nos últimos anos (ver tabela abaixo), o que dificulta a formação de internos nos hospitais.

Quando estes médicos se aposentarem, dentro de poucos anos, isso terá um impacto muito grande no SNS, que não é atrativo para os médicos mais novos”, disse ao DN Carlos Cortes. O presidente da secção regional do centro da Ordem dos Médicos critica a burocracia e falta de recursos como fatores que tornam o SNS menos atrativo para os jovens médicos.

Leiria e Castelo Branco são os distritos com o quadro clínico mais envelhecido. Aqui, 40% dos médicos têm mais de 60 anos. Já Aveiro e Viseu são os que registam um maior rejuvenescimento. Em Aveiro, por exemplo, quase metade dos médicos tem menos de 35 anos.

SO/LUSA

ler mais