“A anti-mulleriana, para além de ser um marcador de reserva ovárica, é um importante marcador cardiovascular”, referiu a especialista. “Medir a quantidade desta hormona permite, ao determinar a distância a que as mulheres estão do início da menopausa, atuar nos fatores de risco e definir estratégias de atuação, explicou a Dr.ª Umbelina Caixas.

 

Assista ao vídeo: