Este reconhecimento é o resultado da estratégia integrada da GSK em aliar a excelência científica a medidas concretas que garantam a qualidade, sustentabilidade e acessibilidade dos seus medicamentos e vacinas.

“Recebemos esta notícia com imensa alegria e, naturalmente, que ficamos muito orgulhosos com este reconhecimento. No entanto, o que nos deixa mais motivados e felizes é o que este facto representa para os doentes. Todo o trabalho que desenvolvemos é focado em melhorar e prolongar a vida dos doentes, independentemente da região em que vivam ou da sua capacidade financeira”, considera Silvia Guichardo, Diretora-Geral da GSK Portugal.

Os responsáveis do ATMI destacam o volume e a qualidade do pipeline de investigação da GSK focado em patologias consideradas prioritárias para a sociedade atual e, também, a criação de uma unidade específica de Investigação & Desenvolvimento em Saúde Pública Global. Melhorar a saúde das pessoas nos países em desenvolvimento deve ser uma responsabilidade partilhada e comum a todos os stakeholders, pelo que é urgente acelerar a colaboração entre todos os players dos diferentes setores.

Comunicado