Embora, os resultados divulgados não sejam conclusivos relativamente ao que causa esta relação, os investigadores reforçam que as novas descobertas devem chamar a atenção dos médicos sobre os contracetivos orais em pacientes com asma.

No estudo foram avaliados registos clínicos de mulheres de 20 e 50 anos de idade, sendo que 32.4% faziam uso de anticoncecionais orais e 10.6% foram diagnosticadas com asma.

A prevalência de asma foi maior nas mulheres que tomavam contracetivos orais (14.3%) comparativamente com as mulheres que não tomavam (8.5%). Citado pelo site Medscape, o Dr. Joe Zein, da  Cleveland Clinic, autor do estudo e orador no Congresso, afirmou que “a nossa hipótese é que exista alguma ligação com o aumento de estrogénio, o que pode causar a inflamação”.

Ainda assim, é relembrado que em alguns casos, mais especificamente nas mulheres que sofrem de episódios de asma antes do período menstrual, podem beneficiar da toma de contracetivos orais, algo que o especialista reforçou ainda não estar totalmente confirmado.

Também nos casos de mulheres com ciclos menstruais anovulatórios, já vários estudos comprovaram que isso pode ser um fator de risco de asma, mesmo nas mulheres que não tomam anticoncecionais.

Posto isto, em entrevista à referida plataforma, o Dr. Zein sublinha a necessidade de serem feitos mais estudos e de “os médicos saberem sobre a relação entre o ciclo menstrual, o uso de anticoncecionais orais e as crises de asma”

Saúde Online