“Temos estado em reuniões de trabalho para a constituição de uma plataforma a aplicar em todos os hospitais do país, tal como a que está em funcionamento nas Administrações Regionais de Saúde”, disse Jaime Marta Soares à agência Lusa.

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses reuniu ontem com a secretária de Estado da Saúde, Rosa Zorrinho, explicando que a criação da plataforma foi o principal tema em debate, para além de terem sido discutidas outras questões.

“É uma plataforma em que serão feitas as requisições dos serviços dos bombeiros, com uma organização territorial. Serve para fazer a requisição, a faturação e a conferência. Vem permitir que não se arrastem, como acontece há muitos anos, faturas dos bombeiros para os hospitais”, explicou.

Segundo Marta Soares, existem faturas que ficam cerca de um ano para serem verificadas.

“Muitas vezes, os bombeiros passam uma fatura aos hospitais e só cerca de um ano depois é que é posta em circulação para ser paga, o que é inaceitável”, salientou.

O presidente da Liga dos Bombeiros refere que a plataforma permite evitar o aumento das dívidas existentes.

“Enquanto a plataforma não está instalada, as dívidas do Ministério da Saúde para com as associações humanitárias e corpos de bombeiros são muito grandes. Podem aproximar-se dos 30 milhões de euros e isso é incomportável para a gestão económica e financeira das associações humanitárias”, frisou.

Marta Soares disse que existiu consenso sobre esta questão na reunião e espera agora resultados práticos, com a criação da plataforma.

LUSA/SO