A iniciativa é desenvolvida pelo Centro de Apoio à Saúde Oral (CASO), uma estrutura daquela organização não-governamental.

“Para além da saúde oral, esta iniciativa pretende apostar num acompanhamento psicossocial personalizado, realizado por técnicos especializados, que irá permitir uma monitorização das mudanças sociais ocorridas ao longo do plano de tratamento”, explicou a coordenadora da iniciativa Ana Simões, citada em comunicado da “Mundo a Sorrir”.

E acrescentou: “para os beneficiários do CASO, pelas suas características de vulnerabilidade social e com necessidades várias ao nível dos tratamentos dentários, é fundamental que haja um reforço positivo constante”.

O apoio psicossocial também será desenvolvido através da “realização de sessões de capacitação/formação em várias áreas como a Saúde e a Empregabilidade, por exemplo”, lê-se ainda no comunicado.

O CASO conta com o apoio financeiro do programa Portugal Inovação Social e dos municípios de Braga, Porto e a Santa Casa da Misericórdia do Porto, sendo que a primeira das autarquias, para além de investidor social, “também procede ao encaminhamento de processos, avaliados pelo seu Gabinete de Ação Social”.

No distrito do Porto o apoio é prestado no Centro de Apoio à Saúde Oral, nas instalações do Hospital Conde Ferreira, que vai ter, “no primeiro trimestre de 2018, obras de reabilitação e de expansão e onde será instalada uma nova cadeira médico dentária”.

Em Braga, o atendimento é nas antigas urgências do Hospital São Marcos.

O CASO foi criado em 2009, em parceria com a Santa Casa Misericórdia do Porto e, desde então “realizou cerca de 25.000 tratamentos médico dentários e doou 458 próteses”, acrescenta o comunicado, referindo que em 2015, em parceria com o Município de Braga, a “Mundo A Sorrir” abriu o segundo centro do país, onde já fez “mais de 14.800 tratamentos”.

LUSA/SO