16 Jun, 2020

Vacina: AstraZeneca prepara-se para iniciar produção. Corrida às doses já começou

Farmacêutica não espera pelo fim dos ensaios e vai começar a produzir vacina. Quatro países europeus já garantiram 300 milhões de doses.

A multinacional farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca já iniciou as cadeias de produção da vacina contra o SARS-CoV-2. Este é o primeiro passo para o início da produção em massa, que deverá arrancar nas próximas semanas. O objetivo é começar a produzir as doses da vacina ainda antes do fim dos ensaios clínicos, que ainda decorrem.

O presidente da AstraZeneca em Itália, Lorenzo Wittum, disse que a multinacional já iniciou “diversas cadeias de produção” da vacina contra o coronavírus Sars-CoV-2 desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, em “vários continentes”. As primeiras cadeias de produção estão “nos Estados Unidos, em Inglaterra, na Índia e em Itália”.

A decisão da empresa, tomada em conjunto com os governos de vários países, é a de começar a produzir a vacina em massa, correndo o risco de ter de inutilizar essas mesmas doses da vacina se algo correr mal nos ensaios clínicos, que só deverão estar concluídos em setembro.

 

Resultados dos ensaios em setembro, vacina até ao final do ano

 

O objetivo é ganhar tempo e tentar distribuir a vacina ainda antes do fim do ano, logo que foram conhecidos os resultados da terceira e última fase dos ensaios. “Em setembro, já teremos resultados dos testes clínicos de eficácia. Se forem positivos, iniciaremos o percurso regulatório para começar a distribuição até o fim do ano“, diz Wittum. “A nossa vontade é a de poder comprimir em um ano um processo que normalmente leva vários anos”, sublinha o diretor-executivo da farmacêutica, Pascal Soriot, citado pelo El País Brasil.

A empresa espera produzir até 400 milhões de doses até ao final do ano. No total, deverão ser produzidas cerca de 2 biliões de doses. Pelo menos quatro países (Itália, Alemanha, Países Baixos e França) já chegaram a acordo com a AstraZeneca para garantirem 300 milhões de doses da vacina. Itália, por exemplo, vai pagar 185 milhões de euros por 75 milhões de doses da vacina. Até ao final do ano, a empresa espera disponibilizar 100 milhões de doses aos EUA e 30 milhões ao Reino Unido.

O custo de cada dose será muito reduzido, de dois euros, e a Astrazeneca afirma que as venderá a preço de custo, sem acrescentar margem de lucro.

A vacina foi desenvolvida pelo Instituto Jenner da Universidade de Oxford, em colaboração com o Grupo de Vacina de Oxford.

TC/SO

 

[box] Notícias Relacionadas:

Covid-19: Vacina da Universidade de Oxford será testada no Brasil

Uma vez que os casos no Reino Unido têm vindo a decrescer, a vacina será testada no Brasil, pelo nível de infeção naquele país.

Vacinas administradas em maio caíram mais de 40%

Queda de 40% em comparação com o mesmo mês de 2019. Quebra mais acentuada registou-se nas crianças com mais de 18 meses e nos adolescentes.

[/box]
ler mais

RECENTES

ler mais