5 Mai, 2022

Três caminhos para erradicar a esclerose múltipla numa década

Movimento da National Multiple Sclerosis Society, a que a SPEM se juntou, definiu um objetivo estratégico para a próxima década, onde se pretende acabar com a Esclerose Múltipla a nível mundial.

O Presidente da Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM) reforça a importância do investimento do SNS na prevenção desta doença em Portugal. Alexandre Guedes da Silva esteve presente na Conferência “XV Legislatura – A Saúde como prioridade para a retoma económica e social”, que se realizou no dia 28 de abril de 2022, onde moderou o Painel de Debate: “Investimento Público em Saúde e a Convergência Internacional”.

Foi durante a sua participação neste Painel de Debate que Alexandre Guedes da Silva anunciou que a SPEM foi convidada pela National Multiple Sclerosis Society a juntar-se a um ambicioso movimento mundial, com o objetivo de acabar de vez com a patologia da Esclerose Múltipla.

Este movimento definiu um objetivo estratégico para a próxima década, onde se pretende acabar com a Esclerose Múltipla a nível mundial, através de três caminhos:

-Identificar e parar a doença antes da existência de sintomatologia ou na sua fase inicial;

-Reabilitar as pessoas que têm a sua vida condicionada pela Esclerose Múltipla, visando a remissão total da doença;

-Perceber, com base na mais avançada investigação científica, quais os fatores que levam ao aparecimento da Esclerose Múltipla.

Nas palavras de Alexandre Guedes da Silva: “O SNS tem um papel fundamental para que o plano estratégico deste movimento seja eficaz. O investimento na prevenção, e não só na resposta, faz toda a diferença para que no futuro todos os cidadãos portadores desta patologia possam viver com melhor qualidade de vida”.

A este movimento já se juntaram 20 associações em todo o mundo, entre elas a SPEM.

SO/COMUNICADO

Notícia Relacionada

ler mais

RECENTES

ler mais