Retomada na próxima semana atividade hospitalar não urgente em LVT

A atividade hospitalar na região de Lisboa e Vale do Tejo está estável e deverá ser retomada na próxima semana, apesar de haver entre 200 e 300 novos casos de covid-19 diários.

“Resulta da observação dos números de atendimento na área dedicada à doença covid-19 dos cuidados de saúde primários e do número de internamentos por covid-19 nas áreas hospitalares destas regiões mais afetadas que a utilização dos mesmos se mantém estável com tendência decrescente. A manter-se este contexto será possível retomar a atividade suspensa no início da próxima semana, o que se antevê e se deseja”, afirmou Marta Temido na conferência de imprensa sobre a situação epidemiológica da pandemia em Portugal.

Segundo a ministra, a atividade hospitalar não urgente nos hospitais de Lisboa e Vale do Tejo, nomeadamente nos hospitais de Lisboa, Amadora e Loures, será retomada, “apesar dos números dos novos casos se manterem persistentemente nos 200/300 novos casos por dia”.

A decisão de suspender a atividade não urgente nos hospitais foi tomada em função “da incerteza” quanto à evolução da situação de contágio na região de Lisboa e Vale do Tejo.

 

Centros hospitalares de Lisboa, Hospitais de Cascais, Loures e Amadora-Sintra com atividade suspensa

 

As unidades de saúde que viram suspensos os serviços não urgentes são os centros hospitalares em Lisboa Norte, Lisboa central e Lisboa ocidental, o Hospital Fernando da Fonseca, na Amadora, e os hospitais de Cascais e de Loures.

Outro dos indicadores utilizados para avaliar a situação epidemiológica destacados hoje por Marta Temido foi a diminuição do número de mortes por covid-19 que se tem registado, estando atualmente a taxa de letalidade global fixada nos 4,2%.

“A média semanal de óbitos tem vindo a cair. Foi de 5,4 por dia na última semana, de 10 na penúltima semana e de 12 na antepenúltima depois de números incomparavelmente superiores nas semanas anteriores”, revelou.

A ministra indicou também que, tendo em conta a incidência acumulada de novos casos por 100 mil habitantes, Portugal está em 9º lugar, e, considerando os óbitos reportados por 100 mil habitantes, o país está em 10º lugar

Marta Temido quis deixar uma “mensagem muito clara” numa fase em que persistem casos de covid-19 em Lisboa e Vale do Tejo, frisando que Portugal, os portugueses e o Serviço Nacional de Saúde têm tido um desempenho encorajador no combate contra a pandemia, dando como exemplo os novos casos registados em outros países, nomeadamente no Reino Unido com 1.514 novos casos de contágio, a Suécia com 769, a França com 407, a Espanha com 323 e a Itália com mais 338.

“Em síntese, este não é o momento para esmorecer, é um momento de resistir e de continuar a trabalhar e vencer em definitivo esta luta pela supressão da doença em Lisboa e Vale do Tejo”, apelou.

SO/LUSA

 

[box] Notícias Relacionadas:

“Há centenas de doentes por contactar”. Sindicato dos Médicos fala em descontrolo em Lisboa

SIM alerta que falta de uma estratégia por parte da autoridade de saúde de Lisboa e Vale do Tejo “põe em perigo” o controle da pandemia em Portugal.

Aumento dos testes em setores críticos não explica subida dos casos em Lisboa

Apenas 23% dos novos casos foram detetados através dos rastreios nas áreas da construção civil e empresas de trabalho temporário.

[/box]
ler mais

RECENTES

ler mais