3 Abr, 2020

Ordem dos Médicos condena encerramento do SAMS e pede intervenção do Governo

Ordem dos Médicos condena o encerramento total do hospital e clínicas do SAMS e insta o Governo a intervir com vista à reposição da normalidade.

A direção clínica do SAMS decidiu suspender os serviços devido à infeção pelo novo coronavírus de doentes e profissionais de saúde, tendo esclarecido que esta tinha sido a “melhor solução” encontrada e que iam ser aplicadas “novas regras de regime simplificado de ‘lay-off’, garantindo a “salvaguarda da segurança e saúde” de profissionais e doentes.

Hoje, em comunicado, a Ordem dos Médicos condenou a decisão “incompreensível dos órgãos dirigentes do SAMS, solidarizando-se com médicos e doentes, e exigiu a reposição de todas as condições que permitam manter o contacto e o acesso aos cuidados de saúde.

“O Conselho Nacional da Ordem dos Médicos insta também o Governo, através do Ministério da Saúde, a socorrer-se do Estado de Emergência declarado, para ter uma intervenção que permita repor a normalidade no SAMS”, é sublinhado.

A Ordem considera que “não é admissível que uma instituição privada fique de fora da solução, criando até mais dificuldades a outros hospitais do setor público, privado ou social, que agora somam à covid-19 os restantes doentes do SAMS que viram o seu acompanhamento abruptamente interrompido”.

No entendimento da Ordem, o custo público e para a saúde decorrente do encerramento de unidades de saúde torna obrigatória uma posição do