16 Jul, 2021

OMS avisa que poderão surgir mais variantes e mais perigosas

Até agora, a Organização Mundial de Saúde reportou quatro variantes consideradas preocupantes: Alpha, Beta, Gamma e Delta.

O Comité de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) avisou hoje para a “forte probabilidade” de surgimento de novas variantes do coronavírus, “possivelmente mais perigosas”.

“A pandemia está longe do fim”, afirmaram em comunicados os peritos que aconselham o diretor-geral da OMS, acrescentando: “Há uma forte probabilidade de surgimento e propagação de novas variantes preocupantes, possivelmente mais perigosas e ainda mais difíceis de controlar”, do que as já reportadas pela agência da Organização das Nações Unidas (ONU).

“As tendências recentes são preocupantes, 18 meses após a declaração de uma emergência sanitária pública internacional, continuamos a perseguir o vírus e o vírus continua a perseguir-nos”, sublinhou o presidente do comité, o francês Didier Houssin, durante um ponto de situação com a imprensa.

Até agora, a OMS reportou quatro variantes consideradas preocupantes: Alpha, Beta, Gamma e Delta.

A variante Delta, identificada na Índia, está a espalhar-se muito rapidamente pelo mundo, provocando um ressurgimento da pandemia.

Muito mais contagiosa do que as outras variantes, mostra-se um pouco mais resistente às vacinas, mesmo que estas continuem a proteger dos casos mais graves de covid-19 e das mortes.

O professor Houssin frisou que o comité fez duas recomendações principais: defender o acesso equitativo às vacinas e não apoiar iniciativas pouco justificadas cientificamente como uma terceira da vacina contra a covid-19, proposta nomeadamente pelo grupo Pfizer/BioNTech.

Na opinião dos peritos da organização, a medida não ajudaria a equilibrar a repartição global de vacinas.

Os dados científicos “não justificam de momento” essa dose de reforço, que, além do mais, “aumenta a desigualdade” quando muitos países em desenvolvimento não puderam imunizar as populações mais vulneráveis, advertiu o médico Didier Houssin, presidente do Comité de Emergência da OMS para a covid-19.

O comité, que se reúne aproximadamente a cada três meses para analisar a situação causada pela pandemia, também recomendou aos países membros da OMS que, por enquanto, “considerem seriamente” a manutenção das medidas de distanciamente físico, num momento de aumento de casos e auge da contagiosa variante Delta.

Artigos relacionados:

ler mais

RECENTES

ler mais