2 Jul, 2021

Movimento “Saúde em Dia” apela à prestação de cuidados adequada a doentes não covid

O movimento também promove uma sessão de apresentação de um estudo sobre os efeitos da pandemia na prestação de cuidados aos cidadãos.

O Movimento “Saúde em Dia” vai promover uma petição pública, junto de uma campanha de sensibilização aos cidadãos, com o propósito de apelar ao poder político pela recuperação rápida e eficiente do cuidado de todos os doentes que não foram atendidos, diagnosticados e tratados durante a pandemia.

Constituído pela Ordem dos Médicos (OM) e pela Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH), a iniciativa também procura promover uma sessão pública de apresentação de um estudo da GfK, realizado junto de doentes, médicos e profissionais de saúde, relativo à prestação de cuidados oferecida durante o período pandémico.

Com o propósito de retomar os serviços de saúde, a sessão também pretende analisar os dados assistenciais do Serviço Nacional da Saúde (SNS) no primeiro ano de pandemia, comparando-os com os registos respetivos do ano anterior. Segundo revelam em comunicado, “foi evidente a redução de consultas e contactos presenciais nos centros de saúde e hospitais”.

Entre os dados a serem apresentados, estes destacam a redução de “13,5 milhões de contactos médicos e de enfermagem presenciais nos cuidados de saúde primários”, através de uma comparação entre março 2020/fevereiro 2021 com os mesmos meses dos respetivos anos de 2019 e 2020.

Do mesmo modo, de acordo com a análise em igual período, também se registaram “menos 4,5 milhões de contactos de saúde hospitalares”, os quais estão associados à realização de consultas, cirurgias, urgências e internamentos.

A sessão, com data marcada para o dia 7 de julho, decorre no auditório da OM e pode ser assistido em direto através da páginas de Facebook da OM e da APAH, bem como em www.roche.pt.

ler mais

RECENTES

ler mais