11 Mai, 2021

“Mind the Mom”: a app que procura minimizar o impacto da pandemia nas grávidas

O projeto, promovido pela Universidade de Coimbra, pretende oferecer um acompanhamento útil, contínuo e adaptado ao contexto da pandemia.

Desenvolvida por uma equipa do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental (CINEICC) da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCEUC), a aplicação móvel “Mind the Mom” procura apoiar as grávidas em contexto de pandemia, por meio da minimização dos seus desafios e das implicações que podem influenciar o seu bem-estar.

Em colaboração com o Serviço de Obstetrícia A do Departamento de Ginecologia, Obstetrícia, Reprodução e Neonatologia e com a Unidade de Psicologia Clínica do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), o projeto, adaptado à situação pandémica atual, centra-se no fornecimento de informação, exercícios e estratégias terapêuticas cognitivo-comportamentais cuja evidência foi comprovada na promoção da saúde mental das grávidas.

Uma vez que surgiram alterações significativas nas rotinas de seguimento obstétrico, tal como na preparação para o parto, e foram introduzidas limitações à presença de acompanhantes no processo da gravidez e pós-parto, “Mind the Mom” é composta por cinco módulos que podem facilmente ser introduzidos nas rotinas das participantes e que procuram combater as implicações de viver uma gravidez nas condições atuais.

Assim, a aplicação, desenvolvida em parceria com a empresa Hypsoftware e o músico Miguel Falcão, explora o impacto do stress e da incerteza na saúde, a importância de saber reconhecer e gerir emoções desconfortáveis e como lidar com pensamentos negativos. A mesma também aborda o mindfulness e a autocompaixão, bem como a comunicação interpessoal.

Segundo o estudo que foi realizado com 225 grávidas, “cerca de 81% consideram-se muito satisfeitas ou extremamente satisfeitas, 74% classificam-na como muito útil ou extremamente útil, 87% tencionam aplicar as informações e exercícios sugeridos na sua rotina, 88% pretendem voltar a utilizar a app e 92% recomendariam a app a outras grávidas”, salienta a coordenadora do estudo financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), Anabela Araújo Pedrosa.

Disponível para os sistemas Android e IOS e parceira da iniciativa World Maternal Mental Health Day, a aplicação está disponível para todas as grávidas, podendo ser acedida através da página do projeto.

ler mais

RECENTES

ler mais