18 Abr, 2018

Médicos de Família dedicam Dia Mundial ao fim das desigualdades no acesso à saúde

O Dia Mundial do Médico de Família, que este ano se celebra amanhã, terá como mote  a obtenção de uma cobertura universal de saúde, o fim das desigualdades no acesso à saúde e o papel de liderança que o médico de família pode e deve exercer nesta luta

O Dia Mundial do Médico de Família, que este ano se celebra amanhã, terá como mote  a obtenção de uma cobertura universal de saúde, o fim das desigualdades no acesso à saúde e o papel de liderança que o médico de família pode e deve exercer nesta luta. O lema oficial será “Juntos pela Saúde”, lê-se numa nota publicada na página na Internet da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF)

DE acordo com a referida nota, pretende-se que sejam divulgados em ações e encontros com a comunidade projetos e serviços em que os médicos de família contribuem, de facto, para uma melhor saúde do indivíduo, da família e da comunidade em que estão inseridos. Contributos na prevenção da doença e promoção da saúde em que o médico de família lidera por exemplo, mas sempre integrado e sem perder a noção da importância vital do trabalho em equipa para a prossecução de objetivos em saúde.

para cumprir estes objectivos, a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), parceira da WONCA – organização mundial dos médicos de família – nas celebrações nacionais do Dia Mundial do Médico de Família 2018, apela aos especialistas dos cuidados primários que se juntem localmente e mostrem no dia 19 de maio o que de mais importante têm vindo a fazer nas suas comunidades, com o fim último de atingir uma saúde universal e equitativa. A APMGF salienta que uma vez que este ano o dia 19 de maio se comemora num sábado, a grande maioria das unidades nas quais os colegas trabalham estarão de portas fechadas. Esta é uma circunstância que encerra grandes oportunidades! Haverá, com toda a segurança, mais tempo e disponibilidade, quer da parte dos profissionais de saúde, quer das pessoas a quem procuraremos transmitir as nossas mensagens de fundo e que circulam em maior número nos espaços públicos.

Como em anos anteriores, será também interessante o envolvimento de parceiros locais (autarquias, clubes, associações, escolas, ginásios, lares, etc.) nesta celebração. Lembramos que tais entidades nunca recusaram no passado dinamizar e apoiar ações propostas pelos médicos de família que incentivem mais e melhor saúde, porque veem neles um ativo fundamental da comunidade e um agente do bem-estar para as famílias, acrescenta.

ler mais

RECENTES

ler mais