18 Out, 2018

Laboratório vai estudar mosquito da malária na província de Moçambique mais afetada

O Ministério da Saúde de Moçambique vai instalar um laboratório no norte do país para o estudo do mosquito que propaga a malária, anunciou fonte governamental.

“Em média, seis em cada dez pessoas em Nampula têm o parasita da malária”, referiu o diretor do Programa Nacional de Combate à Malária, Baltazar Candrinho, citado hoje pela Agência de Informação de Moçambique (AIM).

De acordo com os números, a província de Nampula é a que tem maior prevalência da doença em Moçambique, o que justifica a instalação do laboratório, acrescentou.

O espaço deverá estar pronto a funcionar no prazo de um mês e ajudar a perceber o comportamento do mosquito para apoiar decisões do Ministério na prevenção da doença. O governo já investiu este ano cerca de 870 mil euros em ações de pulverização para eliminação do mosquito em oito distritos de Nampula, onde os casos de malária atingem níveis críticos.

A nível nacional, o mais recente Inquérito de Indicadores de Imunização aponta para uma prevalência de malária da ordem de 40,2% numa população de 28,8 milhões de habitantes.

LUSA

ler mais