13 Jan, 2022

Hospital de Guimarães leva cuidados paliativos a casa dos doentes

Projeto “Paliativos consigo” será posto em prática por uma equipa multidisciplinar, constituída por um médico, enfermeiro, psicólogo, assistente social, assistente espiritual e oncologista.

A prestação de cuidados paliativos ao domicílio, nas várias fases da doença, incluindo fim de vida, é o objetivo de um projeto do Hospital da Senhora da Oliveira, em Guimarães, distrito de Braga, hoje apresentado publicamente.

“Em vez de ser o doente a ir ao hospital, é o hospital que vai ao doente, acompanhando-o no seu domicílio, numa perspetiva de humanização dos cuidados de saúde”, sintetizou a diretora da Unidade de Medicina Paliativa.

Em declarações à Lusa, Celeste Gonçalves explicou que em causa está o projeto “Paliativos consigo”, que será posto em prática por uma equipa multidisciplinar, constituída por um médico, um enfermeiro, um psicólogo, um assistente social, um assistente espiritual e um oncologista.

“Para o terreno vão sempre um médico e um enfermeiro. Depois, e consoante a especificidade e as necessidades de cada doente, poderão seguir alguns dos outros profissionais da equipa ou mesmo todos”, referiu.

O projeto surgiu face à constatação do aumento do número de utentes que a Equipa Intra-Hospitalar de Suporte em Cuidados Paliativos (EIHSCP) do Hospital de Guimarães tem vindo a acompanhar desde a sua implementação, em 2013.

Além disso, a situação resultante da pandemia de covid-19 também serviu como “toque de alerta” para a necessidade de apostar nos cuidados paliativos ao domicílio.

“Há muitos doentes que precisam de cuidados paliativos para quem a obrigação de se deslocarem ao hospital significa um sofrimento acrescido, e é esse sofrimento que queremos evitar”, disse ainda Celeste Gonçalves.

O projeto “Paliativos consigo” foi vencedor de um concurso lançado pela Fundação La Caixa, que assim vai financiar os custos com pessoal e equipamento.

Por outro lado, a Liga dos Amigos do Hospital de Guimarães ofereceu uma viatura para as deslocações ao domicílio.

Para já, o “hospital paliativo” irá apenas à casa dos doentes de Guimarães e Vizela, mas está já equacionada a possibilidade de abranger também o concelho de Fafe.

Numa segunda fase, provavelmente a partir do final deste ano, já deverá haver um “trabalho em rede” entre o hospital e os centros de saúde.

“Está prevista uma ação de consultadoria com os nossos colegas dos centros de saúde para que também eles, com a nossa ajuda e o nosso parecer, possam passar a cuidar dos seus próprios doentes com visitas domiciliárias”, disse Celeste Gonçalves.

Nesta fase, a equipa de “Paliativos consigo” funcionará de segunda a sexta-feira, das 08:00 às 20:00.

Aos sábados e domingos, vai funcionar com um enfermeiro das 09:00 às 15:00 e um médico em regime de prevenção.

A equipa disponibilizará ainda apoio telefónico diário entre as 09:00 e as 20:00.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais