13 Mai, 2024

Fibromialgia. Dor difusa e fadiga prolongadas devem deixar médicos em alerta

No Dia Nacional de Consciencialização para a Fibromialgia, que se assinalou no dia 12 de maio, Daniela Faria, reumatologista na ULS Alto Minho, fala sobre os sintomas a que se deve estar atento para se iniciar o tratamento atempadamente.

Dor muscular generalizada, dificuldade de concentração, cansaço, rigidez no corpo, sobretudo ao acordar pela manhã ou após permanecer muito tempo parado e síndrome do intestino irritável são possíveis sintomas de fibromialgia.

A doença é mais prevalente no sexo feminino e caracteriza-se por dor crónica generalizada, não apenas articular, mas também muscular e a nível dos tendões, associada a insónia e a um sono não reparador. “O prolongamento destes sintomas deve deixar o médico de família em alerta para a possibilidade de se tratar de fibromialgia”, afirma Daniela Faria. “O especialista em Medicina Geral e Familiar tem a mais-valia de conhecer os utentes, o que permite um diagnóstico mais atempado”, acrescenta.

A reumatologista realça, ainda, que face a esta sintomatologia, é importante referenciar para Reumatologia. “O diagnóstico diferencial deve ser feito pelo reumatologista, mas, isso não significa que o acompanhamento do doente não possa ser feito pelo médico de família.”

Daniela Faria frisa que se trata de uma doença crónica, que pode inclusive “condicionar a capacidade de trabalhar, dependendo da gravidade dos sintomas e do tipo de trabalho em questão”.

O tratamento da fibromialgia requer uma abordagem holística, ou seja, mais geral e multimodal, que abrange intervenções tanto farmacológicas como não farmacológicas. Além disso, “é essencial que o próprio doente compreenda e esteja bem informado sobre a doença, incluindo possíveis desencadeadores de crises, pois isso é fundamental para gerir eficazmente esta patologia”.

A fibromialgia pode ainda causar sintomas cognitivos, que são muito frequentes, como dificuldade de concentração, défice de atenção e alterações ligeiras da memória, mas cuja progressão pode ser controlada.

 

MJG

Notícia relacionada

Entrevista. “O stresse tem um papel absolutamente decisivo na fibromialgia”

Print Friendly, PDF & Email
ler mais
Print Friendly, PDF & Email
ler mais