7 Abr, 2020

Farmácia do hospital de Santa Maria vai entregar medicamentos em casa

Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte começa esta semana a entregar, de forma gratuita, medicação ao domicílio “ao maior número possível de doentes".

O centro hospitalar adianta que a entrega de medicamentos ao domicílio faz parte de um conjunto de medidas tomadas para minimizar o risco associado à deslocação dos doentes para levantamento de medicação na farmácia do Hospital de Santa Maria, “que atende cerca 500 doentes/dia”.

O serviço de entregas de medicamentos ao domicílio vai abranger “doentes de praticamente todo o país e é totalmente gratuito”, e estará disponível para “o maior número possível de doentes e de patologias”.

O centro hospital sublinha que serviços de entrega cumprem a legislação em matéria de certificação de transporte de medicamentos, com todas as garantias de segurança envolvidas.

“O CHULN quer assegurar que este serviço é realizado por entidades de transporte profissionalizadas e credenciadas para o efeito, esperando-se por isso um serviço eficiente e com qualidade”, acrescenta.

O reforço generalizado dos ‘stocks’ de medicamentos, em especial os cedidos em ambulatório, foi outra das medidas tomadas pelo CHULN.

Esta decisão irá “permitir a cedência de medicação para períodos mais longos, nomeadamente dos habituais 30 para 60 dias, de acordo com as características do doente, patologia e enquadramento social”, abrangendo “todos os doentes, incluindo com artrite reumatoide”.

A Associação Nacional dos Doentes com Artrite Reumatoide (ANDAR) tinha criticado a gestão da farmácia hospitalar do Hospital de Santa Maria, dizendo que esta recusou a dispensa de medicamentos a vários doentes, ignorando que as receitas desmaterializadas estão em vigor desde setembro de 2017.

O Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte está também a desenhar um procedimento para promover o recurso a receitas assinadas digitalmente pelos médicos prescritores (assinatura digital em documento PDF).

Contudo, sublinha o CHULN na resposta enviada à Lusa, se entrar em vigor “uma norma extraordinária que permita o pedido de dispensa de medicação através da apresentação de receita via email, os serviços farmacêuticos adotarão essa medida sem reservas”.

Segundo o centro hospitalar, é necessário encontrar formas de validar as receitas recebidas por via eletrónica, dadas as dificuldades de os médicos assistentes utilizarem prescrições em papel, uma vez que o recurso à “teleconsulta” é uma opção em crescendo.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, já tinha anunciado que os doentes crónicos que necessitassem de medicamentos que são disponibilizados pelos hospitais iam passar a receber os fármacos em casa, após a agência Lusa ter tido conhecimento de alguns casos de doentes crónicos, nomeadamente transplantados, que estavam preocupados com a forma como podiam ter acesso aos medicamentos, devido às restrições de acesso aos estabelecimentos de saúde impostos surto de covid-19.

SO/LUSA

 

 

[box] Notícias Relacionadas:

Ordens, sindicatos e administração do hospital Santa Maria vão ser ouvidos na AR

Representantes das ordens dos Enfermeiros e dos Médicos e dos sindicatos, além da administração do hospital Santa Maria, vão ser ouvidos na comissão parlamentar de Saúde sobre os impactos da greve cirúrgica nos cinco maiores hospitais do país.

Ordem visita hospital Santa Maria após denúncias de médicos em formação

Médicos internos queixam-se de pressões para realizarem urgências e fazerem horas a mais.

Hospital Santa Maria enviou 137 mulheres para abortar no privado por fecho de consulta

Consulta de interrupção voluntária de gravidez esteve encerrada no início deste ano por falta de enfermeiros especialistas.

Hospital Santa Maria realizou o seu milésimo transplante renal

Esta semana o Hospital Santa Maria, em Lisboa, estabeleceu um novo recorde com a concretização do seu milésimo transplante renal, um feito que os profissionais descrevem como “fantástico” e “simbólico”.

[/box]
ler mais

RECENTES

ler mais