13 Dez, 2021

Falta de oncologistas ameaça quimioterapia no Centro Hospitalar Tondela-Viseu

A unidade está estudar a transferência de doentes para o IPO de Coimbra, uma vez que só conta com dois especialistas em exercício.

O Centro Hospitalar Tondela-Viseu (CHTV) está a estudar a transferência de doentes para o Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra. Por falta de médicos oncologistas, a realização de tratamentos de quimioterapia injetável para quem tem cancros da mama e da próstata poderá ficar suspensa, avança o Jornal de Notícias.

Tendo em consideração que uma das médicas deste serviço está de baixa e o hospital tem nesta altura apenas dois oncologistas, a solução de transferir estes doentes está em cima da mesa. Deverão ficar disponíveis no CHTV apenas tratamentos de quimioterapia por via oral.

Faltam médicos, mas a parte mais complicada é que os doentes de cancro da mama e da próstata [terão] de ir fazer quimioterapia injetável a Coimbra”, lamentou o presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, ao mencionar as viagens que os utentes terão de fazer.

“Depois do tratamento [as pessoas] ficam num estado muito complicado, passam uma hora a vomitar. Não é possível ter este tipo de situação”, defende o presidente, que não esconde a sua preocupação. Fernando Ruas lamenta que o CHTV, que deu início ao processo de construção de um centro de ambulatório e de radioterapia, esteja agora a “empurrar as pessoas” para Coimbra.

Como resposta ao JN, o conselho de administração do CHTV garante que pretende contratar mais médicos a curto prazo, no âmbito da construção do novo centro. Também afirmam que alguns destes doentes oncológicos já são tratados no IPO de Coimbra, numa perspetiva de complementaridade.

SO

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais