9 Abr, 2019

Excesso de peso antes dos 50 anos aumenta risco de cancro do pâncreas

Novos dados foram apresentados este mês na reunião anual da American Association for Cancer Research.

Um novo estudo revela que ter peso a mais numa fase precoce da vida – antes dos 50 anos – aumenta de forma significativa o risco de desenvolver cancro do pâncreas, o tipo de cancro mais letal. Os novos dados foram apresentados este mês na reunião anual da American Association for Cancer Research.

Os investigadores associaram um aumento de 25% no risco de cancro do pâncreas a um aumento de cinco unidades de índice de massa corporal (IMC), para alguém que meça cerca de 1,70 e tenha entre 30 e 49 anos.

“As taxas de cancro do pâncreas têm aumentado constantemente desde o início dos anos 2000”, referiu Eric J. Jacobs, diretor científico da área epidemiológica da American Cancer Society e principal autor do estudo.

Com o aumento da idade, a relação entre o peso e o risco vai diminuindo. As pessoas entre 50 e 59 têm um risco 19% superior , enquanto que esse valor se situa nos 14% para pessoas entre 60 e 69 anos. Este não é o primeiro estudo que estabelece uma relação direta entre o excesso de peso e o cancro – em fevereiro, um trabalho publicado na revista Lancet apontava para um aumento do risco ligado à obesidade em cinco tipos de cancro (colorretal, endometrial, da vesícula biliar, do rim e ainda o mieloma múltiplo).

Contudo o cancro do pâncreas é extremamente mortífero. A sobrevivência varia entre os 2 e os 8% – a mais baixa de entre todas as doenças oncológicas. Nos EUA, por exemplo, o cancro do pâncreas representa apenas 3% de todos os cancro mas causa um terço de todas as mortes por doença oncológica.

Os casos de cancro do pâncreas têm vindo a aumentar. Eric J. Jacobs confessa que essa evolução causa estranheza, uma vez que “o tabagismo – um importante fator de risco para o câncer de pâncreas – está a diminuir”. No entanto, o investigador refere que o aumento da incidência não pode ser exclusivamente explicado com o aumento do peso.

“O aumento de peso na população dos EUA é um provável suspeito, mas estudos anteriores indicaram que o excesso de peso está relacionado apenas a um aumento relativamente pequeno no risco, o que não parece suficiente para explicar os recentes aumentos nas taxas de cancro pancreático”, disse.

No total, Jacobs prevê que o excesso de peso será responsável por 28% das mortes por cancro do pâncreas de pessoas nascidas nos EUA entre 1970 e 1974. Isto quando, na geração anterior (pessoas nascidas antes de 1950), o valor era de metade – 15%.

“Os resultados sugerem que, para parar e eventualmente reverter os recentes aumentos nas taxas de cancro do pâncreas, precisamos de fazer melhor a prevenção do ganho de peso em crianças e adultos jovens, uma conquista que ajudaria a prevenir muitas outras doenças também”, disse Jacobs.

Tiago Caeiro

ler mais

RECENTES

ler mais