10 Fev, 2022

Covid-19. Hospital de Ponta Delgada reforça camas para doentes covid

De modo a colmatar a atual situação, o hospital decidiu abrir a enfermaria de Medicina VI a doentes Sars-Cov-2 positivos assintomáticos ou com sintomas ligeiros.

O Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, Açores, reforçou o número de camas destinadas a doentes covid-19, uma vez que, das 78 que possui, 58 estão ocupadas, anunciou a unidade de saúde.

Para isso, o hospital decidiu abrir a enfermaria de Medicina VI a doentes Sars-Cov-2 positivos assintomáticos ou com sintomas ligeiros.

Dados fornecidos à agência Lusa pelo hospital referem que contam atualmente três enfermarias destinadas a doentes com covid-19, além de uma unidade de cuidados intensivos, estando o Serviço de Pediatria também preparado para receber pacientes.

Em declarações à Lusa, a presidente do Conselho de Administração na Hospital do Divino Espírito Santo, Cristina Fraga, recorda que numa primeira fase só havia uma enfermaria para covid-19.

A responsável refere que, “como os recursos humanos são finitos (enfermeiros e assistentes operacionais), foi encerrada a Cirurgia V, tendo as especialidades sido alocadas à Cirurgia IV, aberta com os recursos humanos da Cirurgia V a Medicina VI”.

A presidente do Conselho de Administração admite que a covid-19 pode condicionar as metas do hospital em termos de combate às listas de espera para cirurgia e consulta, a curto prazo, mas ressalva que, “dentro de pouco tempo, esta situação também vai regredir e aumenta-se a produção assistencial e adicional de recuperação das listas de espera”.

Cristina Fraga anunciou que para combater o défice de médicos (são 360 atualmente) vão ser abertas 62 vagas, já viabilizadas pela tutela da Secretaria Regional da Saúde e Desporto, em diferentes especialidades.

Quanto a enfermeiros, no ano passado foram abertos concursos para a contratação de 60 daqueles profissionais, tendo concorrido 80, mas só 46 assinaram contrato.

De acordo com o hospital, seria necessário contratar mais 156 enfermeiros para “cumprir as dotações seguras preconizadas pela Ordem dos Enfermeiros e garantir a substituição dos enfermeiros com ausências prolongadas e o gozo imediato de todos os descansos devidos pelos enfermeiros da instituição, nomeadamente gozo de feriados acumulados, tolerâncias, folgas de compensação por prevenção, entre outros”.

A responsável pelo Hospital do Divino Espírito Santo aponta como especialidades mais afetadas pela falta de médicos a medicina interna, a cirurgia e os cuidados intensivos.

Vão ser abertas seis vagas para a medicina interna, igual número nos cuidados intensivos e na anestesiologia, indicou Cristina Fraga.

Questionada sobre o recente ataque informático ao Hospital do Divino Espírito Santo, a presidente refere que “não se está a 100% mas vai-se estar a 200% com as novas inovações que vão ser implementadas e que não foram possíveis de realizar o ano passado”.

“Nós temos um projeto, o MUSA, um modelo único de saúde nos Açores, que queremos implementar com o nosso parceiro, a Glint, que trará uma grande inovação a esta instituição”, declarou Cristina Fraga.

O número total de óbitos no hospital de Ponta Delgada, devido à covid-19, em 2022, foi de 15 utentes, valor calculado à data de terça-feira, pelo hospital.

Os Açores diagnosticaram, nas últimas 24 horas, 1.272 novos casos de covid-19 e 1.076 recuperações, estando 68 pessoas internadas, mais três do que na terça-feira, segundo o comunicado de hoje da Autoridade de Saúde.

No Hospital do Divino Espírito Santo, em São Miguel, estão 42 pessoas internadas (cinco em cuidados intensivos), 12 estão no Hospital de Santo Espírito, da ilha Terceira (dois em cuidados intensivos), e quatro no Hospital da Horta, no Faial (um em cuidados intensivos).

LUSA/SO

Artigos relacionados:

ler mais

RECENTES

ler mais