21 Set, 2021

Covid-19 em Portugal. Pandemia deverá estabilizar até dezembro, apontam projeções

A análise da Universidade de Washington prevê que os números de infeções diárias em Portugal estabilizem perto das mil e que a mortalidade não aumente.

Com base na percentagem de população vacinada, Portugal deve assistir a uma ligeira descida de infeções ao longo das próximas semanas e o número de casos diários deve estabilizar perto dos mil (diagnosticados e não diagnosticados), sustenta a projeção para a evolução da pandemia covid-19 realizada pelo Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde da Universidade de Washington (IHME), citada pelo jornal i. As infeções devem voltar a aumentar ligeiramente a partir de dezembro.

No que diz respeito à mortalidade, o IHME, instituto que publica projeções a nível global, prevê que o número de mortes atribuídas à covid-19 deve atingir as 18 300 mortes até ao final do ano em Portugal, o que representa mais 400 mortes do que atualmente.

No entanto, quando foram apresentados os resultados, o representante do IHME, Christopher Murray, apontou dois fatores de preocupação, os quais podem justificar alterações nas projeções: novas variantes, como o aparecimento da delta em abril deste ano, ou a diminuição da imunidade conferida pelas vacinas.

É neste sentido que, num pior cenário, ao qual se junta o aumento de 25% da mobilidade face a valores pré-pandémicos ou a opção pela não utilização da máscara por todas as pessoas vacinadas – bem como maior relutância na adoção de medidas restritivas pelo Governo – é provável que se verifique um aumento da mortalidade e um aumento de infeções a partir do final de setembro, com um pico em dezembro.

Neste cenário – o qual não antecipam para Portugal -, o IHME prevê que o país pode chegar a registar um pico de infeções superior ao observado no início do ano (em janeiro) e ultrapassar as 100 mortes diárias associadas à covid-19.

Ainda, relativamente ao processo de vacinação, tendo em conta que Portugal foi o país onde mais pessoas mostraram maior intenção em serem vacinada, as projeções apontam que, até ao final do ano, 9,2 milhões de portugueses tenham, pelo menos, uma dose da vacina. No mesmo âmbito, deve ser observada uma pressão baixa nos cuidados intensivos nos próximos meses no que diz respeito à covid-19.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais