19 Jan, 2022

Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa termina 2021 sem lista de espera para cirurgias

Unidade hospitalar iniciou “um projeto abrangente para combater as listas de espera”, com reforço de equipas, captação de mais especialistas e abertura de novas especialidades.

O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS), com sede em Penafiel, distrito do Porto, informou ter concluído 2021 sem lista de espera para cirurgias.

“De 2019 a 2020, foram realizadas mais de 50.000 cirurgias e em 2021 cerca de 26.000, o que permitiu reduzir em praticamente todas as áreas a lista de espera do CHTS”, pode ler-se num comunicado enviado à Lusa.

De acordo com o CHTS, no caso das listas de espera de consultas de especialidades, o ano passado terminou com “situações residuais em vias de solução”.

“A situação da lista de espera para consultas de especialidade no CHTS pode considerar-se praticamente inexistente, subsistindo apenas alguns casos relacionados com endocrinologia e com a apneia do sono”, assinala a unidade hospitalar.

Na informação, o centro hospitalar recorda ter havido notícias, no passado, a darem conta de listas de espera de vários anos ao nível das cirurgias.

O CHTS compreende os hospitais de Penafiel e Amarante e serve 12 concelhos da região do Tâmega e Sousa, correspondendo a cerca de 520 mil pessoas.

Em 2019, informa ainda, o CHTS iniciou “um projeto abrangente para combater as listas de espera e dar resposta à população”, com reforço de equipas, captação de mais especialistas e abertura de novas especialidades, como infecciologia, imunoalergologia, reumatologia, hematologia e oncologia.

Foi, também, concretizada “uma reforma no sistema de admissão de doentes em pré-internamento cirúrgico, que tem permitido reduzir significativamente as listas de espera, desde 2019, e que agora atingiu um resultado notável”.

Apesar dos constrangimentos provocados pela pandemia de covid-19, o CHTS “manteve sempre o foco de tratar os doentes covid, mas também, em paralelo, o projeto de combate às listas de espera”, concluiu aquele centro hospitalar da região Norte.

LUSA

Notícia Relacionada

Dona Estefânia sem meios suficientes regista lista de espera pela primeira vez em 33 anos

ler mais

RECENTES

ler mais