8 Mar, 2022

Casos de covid-19 voltam a subir mas sem “necessidade de alarmismo”

Durante a semana passada, o número de novos casos de infeção por SARS-CoV-2 aumentou 8% face à semana anterior.

Depois de um mês de descida contínua em todas as regiões do país, os diagnósticos de covid-19 estão de novo a aumentar em Portugal. No entanto, a inversão da tendência observada ao longo do último mês surge “sem necessidade de alarmismo”, confirma o matemático Carlos Antunes ao Jornal de Notícias.

Ao comparar os dados publicados diariamente pela Direção-Geral da Saúde no que concerne a situação epidemiológica da covid-19, é possível observar uma subida de 8% nos diagnósticos de infeção por SARS-CoV-2 em Portugal continental durante a semana passada face à semana anterior (75 188 vs. 69 440).

Desagregando os dados, as regiões de Lisboa e Vale do Tejo e do Alentejo representam a subida mais expressiva, sendo na capital que os diagnósticos parecem estar a disparar a um ritmo mais elevado. Ainda, a nova subida de casos deve-se sobretudo ao aumento de infeções nos grupos etários dos 10 aos 19 anos e dos 20 aos 29, com subidas de 36% e 26%, respetivamente, relativamente à semana antecedente.

Vários são os fatores que podem estar a contribuir para esta inversão, analisam os especialistas. Além da alteração da tendência coincidir com o aumento da circulação da variante BA.2 da Ómicron, também o fim do isolamento de contactos de alto risco, como de coabitantes, pode justificar um maior número de infeções.

O impacto da alteração das regras traz “um risco que era assumido, como também quando se reduziu o período de isolamento de dez para sete dias”, sugere, ainda, o matemático Manuel Carmo Gomes. Será necessário, assim, fazer-se um “compasso de espera” quanto à possível passagem para o nível zero de restrições.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais