5 Fev, 2018

Brinquedos usados têm níveis “surpreendentes” de químicos tóxicos

Um estudo alerta que brinquedos reutilizados podem ser prejudiciais para as crianças. Em causa estão os químicos tóxicos que estes libertam

É cada vez mais comum, à medida que vão crescendo as preocupações em torno da sustentabilidade ambiental, que o desperdício se reduzida a níveis próximos do zero. Os brinquedos, se mantiverem um estado de conservação aceitável – o que nem sempre acontece – podem ser vendidos, doados ou usados pelo irmão mais novo. Contudo, esta reutilização pode ser perigosa, como revela um estudo da Universidade de Plymouth, no Reino Unido.

Ao testarem cerca de 200 brinquedos, os cientistas, liderados por Andrew Turner, encontraram vestígios de elementos como antimónio, bário, bromo, cádmio, cromo, chumbo e selénio. Expostos durante um período alargado de tempo, estes elementos revelam-se tóxicos e têm repercussões na saúde das crianças, principalmente por causa do hábito de estas colocarem os brinquedos na boca.

Os 200 brinquedos utilizados no estudo foram recolhidos de casas, jardins-de-infância e lojas de venda de produtos em segunda mão e incluíam comboios, carros, figuras – como dinossauros de plástico – e puzzles, e eram todos de tamanho e forma que poderiam ser engolidos por crianças.

Como em estudos anteriores, os pesquisadores utilizaram a fluorescência de raios-X para examinar a composição dos brinquedos e também realizaram testes que simulavam como os brinquedos podiam responder no estômago. Os resultados foram publicadas recentemente na revista Environmental Science and Technology.

ler mais

RECENTES

ler mais