Os investigadores recolheram dados de questionários respondidos por cerca de 16 mil participantes sobre o consumo de nozes. Os indivíduos preencheram os questionários antes e depois de serem diagnosticados com diabetes tipo 2, avança a plataforma de notícias Medical News Today. 

O estudo mostra que as pessoas com diabetes tipo 2 que comiam cinco porções de nozes por semana tinham um risco reduzido de doença cardiovascular em 17% e um risco 34% menor de morte associada a esta condição, beneficio que se verificou mesmo com a ingestão depois do diagnóstico da diabetes.

Mesmo a ingestão de pequenas quantidades de nozes fez uma diferença significativa. Cada porção adicional por semana de nozes levou a uma redução de 3% no risco de doença cardiovascular e um risco 6% menor de morte por doença cardíaca.

“As nossas descobertas fornecem novas evidências que apoiam a recomendação de incluir nozes em dietas saudáveis ​​para a prevenção de complicações cardiovasculares e mortes prematuras entre indivíduos com diabetes”, disse o Dr. Gang Liu, principal autor do estudo e investigador de ciências nutricionais na Escola de Saúde Pública de Harvard T.H. Chan, em Boston.

Embora os efeitos específicos das nozes sobre a saúde do coração não sejam claros, os investigadores acreditam que pode ser pelo elevado valor nutricional deste fruto seco, benéfico para a pressão arterial, controlo dos níveis de açúcar no sangue e para o metabolismo.

Os investigadores sugerem que se reforcem os estudos nesta área para compreender a ligação entre este alimento e a prevenção de doenças cardiovasculares nos indivíduos com diabetes tipo 2.

Mónica Abreu Silva

ler mais