Mais de 70% das unidades de saúde familiar (USF) ficaram mais de 10 vezes num ano sem acesso informático e nove em cada dez unidades teve pelo menos uma vez falta de material considerado básico.

Estes dados constam de um estudo feito pela Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar e baseiam-se em inquéritos realizados entre abril e maio deste ano aos coordenadores das unidades.

Quase 90% das USF tiveram “falta de material considerado básico pelo menos uma vez no ano”, sendo que em 72% dos casos o problema demorou mais de 48 horas a ser resolvido.

Quanto aos problemas informáticos, que têm sido motivo de queixa frequente dos profissionais de saúde, sobretudo dos médicos, a “insatisfação com a informática mantém-se” e há crescentes quebras no acesso aos sistemas de informação usados nas USF.

Segundo o estudo, que na sexta-feira vai ser debatido em Lisboa, 70% das USF ficou sem acesso informático pelo menos 10 vezes no ano e 30% destas mais de 50 vezes.

Os profissionais demonstram “grande insatisfação” com os sistemas informáticos que usam, preocupando-se também com a “segurança dos dados informáticos”.

LUSA

ler mais