1 Jun, 2017

VIH/SIDA lidera na Comissão Europeia

O Parlamento Europeu (PE), instiga a Comissão Europeia a desenvolver ainda mais a área do VIH/SIDA, que se encontra já na derradeira frente da luta contra a doença

O PE pede aos Estados-Membros, à Comissão e ao Conselho que desenvolvam um quadro estratégico abrangente da UE sobre o VIH/SIDA, a tuberculose e a hepatite C, tendo em conta as diferentes situações e desafios específicos dos Estados-Membros da União Europeia (EU) e dos seus países vizinhos onde a incidência destas doenças é mais elevada.

Para o presidente da Abraço, Gonçalo Lobo, hoje em Bruxelas a participar no grupo de trabalho do HIV Outcome, “esta liderança leva a que esta área sirva de exemplo para outras como as hepatites virais, tuberculose e políticas sobre drogas, tal só é possível graças às ao envolvimento da sociedade civil, assim como dos diferentes stakeholders.” O presidente da Abraço destaca ainda a solicitação à Comissão e os Estados-Membros para facilitarem o acesso a tratamentos inovadores  e a colaborarem na luta contra o estigma social associado à infeção pelo VIH. Gonçalo Lobo sublinha ainda como importante o pedido de aumento de investimento na investigação para encontrar tratamentos eficazes e desenvolver novos instrumentos e abordagens centrados no doente para lutar contra estas doenças.

Para a Abraço é ainda importante a indicação de se fazerem chegar os serviços de despistagem do HIV aos grupos chave da população em contextos em que a prevalência do HIV é mais elevada, na sequência das recomendações da OMS, e o incentivo aos Estados-Membros para disponibilizarem testes de VIH gratuitamente, em particular para os grupos vulneráveis, a fim de assegurar a deteção precoce e a melhorar a notificação do número de infeções, facto que é importante para fornecer informações adequadas e avisos sobre a doença.

O PE salienta que o VIH continua a ser a doença transmissível com a mais elevada estigmatização social, o que pode afetar seriamente a qualidade de vida das pessoas, e que, em 2015, foram diagnosticadas quase 30000 novas infeções por VIH nos 31 países da UE/EEE, sem que haja sinais evidentes de uma diminuição global.

 

Comunicado de Imprensa/SO/SF

 

ler mais

RECENTES

ler mais