1 Fev, 2018

Vão ser criadas este ano 30 Unidades de Saúde Familiar

Para além das 30 novas USF, 20 vão este ano transitar para o modelo B. FNAM diz que é insuficiente. O ano passado abriram 10 USF, ao contrário dos números avançados hoje pelo primeiro-ministro

Trinta novas unidades de saúde familiar (USF) vão ser abertas este ano e cerca de 20 vão poder transitar do modelo A para o modelo B, segundo um despacho hoje publicado em Diário da República.

Entretanto, a FNAM (Federação Nacional dos Médicos), reagiu com surpresa ao despacho do Ministério da Saúde. “Estamos descontentes com este anúncio. É insuficiente a passagem de 20 USF para o modelo B”, alerta Vitória Martins, vice-presidente da FNAM, em declarações ao saudeonline.

Criadas em 2005, as USF foram fundadas como uma forma alternativa ao habitual centro de saúde, prestando também cuidados primários de saúde, mas com autonomia de funcionamento e sujeitas a regras de financiamento próprias, baseados também em incentivos financeiros a profissionais e à própria organização.

O modelo B de USF é uma forma mais evoluída de organização e está definido como aquele em que equipas com maior amadurecimento organizacional e maiores exigências de contratualização garantem maior disponibilidade para atingir níveis avançados de acesso para os utentes, elevado desempenho clínico e eficiência económica.

Também a Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) foi surpreendida pelo despacho,que diz ser anti-reforma dos Cuidados de Saúde Primários. Em comunicado, a USF-AN critica o número de 30 USF a constituir em 2018, lamenta ter desaparecido o compromisso de um número mínimo de USF a abrir por ano e chega mesmo a acusar o Ministério da Saúde de não querer dar “a todos os portugueses uma equipa de saúde familiar de qualidade”.

“As UFS de modelo A são apenas uma ponte para atingir o modelo B. Em 2017 nenhuma UFS transitou para o modelo B e, agora, dos 27 pedidos que foram feitos, o Ministério só autoriza 20”, critica Vitória Martins. A USF-AN recorda também que em 2017 não foi aberta nenhuma USF.

Contudo, e segundo dados a que o saudeonline teve acesso, transitaram para o modelo B, em 2017, duas USF (Poente e Vista Tejo, ambas na Costa da Caparica, no concelho de Almada). Abriram, ainda, o ano passado 10 USF de modelo A: Progresso e Saúde (Cantanhede), Pombal Oeste (Pombal), Marés (Peniche), Ossónoba (Faro), SalusVida (Cantanhede), Nova Caparica (Costa da Caparica), Linha de Algés (Carnaxide), Coimbra Centro (Coimbra), Reynaldo dos Santos (Póvoa de Santa Iria) e Benfica Jardim (Lisboa).

Estes dados contrariam os números avançados esta tarde pelo primeiro ministro no debate quinzenal. António Costa garantiu hoje, no parlamento, que, em 2017, entraram em funcionamento 18 USF, das 23 que estavam previstas inaugurar no ano passado.

“As USF trazem benefícios para os utentes e são um estímulo para os jovens especialistas em início de carreira”, refere Vitória Martins.

ler mais

RECENTES

ler mais