2 Set, 2020

Vacina de Oxford entra na terceira fase dos testes nos EUA

Empresa procura 30 mil voluntários para testar segurança e eficácia da vacina. Também a Pfizer e a Moderna já estão na fase 3 dos ensaios clínicos.

A vacina contra o SARC-CoV-2 desenvolvida na Universidade de Oxford, em parceira com a empresa AstraZeneca, já passou à fase 3 dos testes, avançou a farmacêutica em comunicado.

A empresa procura “30 mil adultos com 18 anos ou mais, de diversos grupos raciais, étnicos e geográficos, que sejam saudáveis ou que tenham condições médicas estáveis, incluindo aqueles que vivem com VIH, e em risco elevado de contrair infeção pelo vírus SARS-CoV-2”. Os testes serão realizados nos Estados Unidos, embora a intenção seja vacinar mais 20 mil voluntários da Europa, América Latina e Ásia.

Os participantes deverão receber duas doses, com um intervalo de duas semanas. Uns receberão a vacina e outros um placebo. A vacina, que tem o nome experimental AZD1222, combina uma versão enfraquecida do vírus da gripe comum e uma proteína do vírus que faz com que o Covid-19 induza uma resposta imune, escreve a CNN.

A Astrazeneca pretende trabalhar com governos e organizações na produção de milhões de doses e criar acesso alargado e equitativo à vacina, assim que autorizada. A empresa já está a realizar testes de fase 3 no Reino Unido, Brasil e África do Sul, alargando-os agora aos EUA. Também as duas rivais mais diretas no desenvolvimento de uma vacina, a Moderna e Pfizer/BioNTec, já estão na terceira fase dos ensaios clínicos.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais