10 Set, 2021

Técnicos do INEM ameaçam com greve geral em outubro

Em causa está a revisão da carreira e das condições de trabalho, formação, equipamentos, seguro de acidentes de trabalho, entre outras reivindicações.

Os técnicos de emergência pré-hospitalar do INEM iniciam na sexta-feira uma greve de zelo, por tempo indeterminado, ao trabalho não urgente e ameaçam com uma paralisação geral em outubro, anunciou o sindicato que representa estes trabalhadores.

Convocada pelo Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar (STEPH), a greve de zelo ao trabalho não urgente incluiu a limpeza semanal das ambulâncias e a elaboração “da check-list base” e de oxigénio, disse à Lusa o presidente do STEPH.

Ricardo Lázaro frisou que esta greve de zelo se junta à paralisação iniciada no fim de junho ao trabalho administrativo e burocrático desenvolvido pelos técnicos de emergência pré-hospitalar do INEM.

O sindicalista avançou que está previsto “um dia de greve geral para outubro” caso o Ministério da Saúde e o Instituto de Emergência Médica (INEM) não respondam às reivindicações destes profissionais.

Ricardo Lázaro disse também que a greve de zelo ao trabalho não urgente pode ser interrompida se a tutela ou o INEM aceitarem negociar com o sindicato e avançarem com a resolução concreta dos problemas.

Em causa está a revisão da carreira especial de técnico de emergência pré-hospitalar e das condições de trabalho, respeito pelo acordo coletivo de carreira especial concluído em 2018, formação, equipamentos de emergência médica, ausência de seguro de acidentes trabalho e responsabilização dos dirigentes pelas diversas ilegalidades cometidas.

O sindicato exige ainda “término imediato das perseguições a vários trabalhadores” e respeito pela legislação laboral.

De acordo com o sindicato, nos últimos cinco anos mais de 300 técnicos de emergência pré-hospitalar deixaram de exercer funções no INEM, correspondendo a mais de 30% a taxa de abandono.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais