21 Nov, 2018

Técnicos de diagnóstico e terapêutica ameaçam fazer novas greves em dezembro

Os sindicatos que representam os técnicos de diagnóstico e terapêutica ameaçam fazer novas greves a partir do próximo mês e acusam a ministra de “tentar iludir” os trabalhadores com a marcação de uma audiência para 10 de dezembro.

” É inadmissível a atitude do Governo e da ministra da Saúde perante um problema com 18 anos de atraso” afirma ontem, em comunicado, o presidente do Sindicato dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (STSS), Luís Dupont, a propósito da data da audiência com a ministra Marta Temido.

Luís Dupont adianta que esta reunião será supostamente para fechar o processo negocial, mas ainda não existem novas propostas por parte do Governo.

“O Governo, com esta audiência, que só decorrerá daqui a um mês, se efetivamente na altura se concretizar, tenta iludir os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica para travar o caos no SNS previsto até ao final do ano”, sublinha o dirigente sindical.

No mês de dezembro, as estruturas sindicais vão anunciar um calendário de greves, com início a 5 de dezembro, em dias intercalados, e que se irão desenrolar durante todo o mês, “em defesa da conclusão do processo negocial de revisão e regulamentação das carreiras dos TSDT [Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica]”, refere o comunicado.

Segundo os sindicatos, estes dias de greve serão acompanhados por ações de protesto público.

No sábado, os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica vão assinalar a assinatura do protocolo negocial com o Governo e os sindicatos, ocorrida há um ano, e que continua sem estar concluído, com uma concentração nacional.

“No decurso deste dia e nesta concentração [os profissionais] vão assinalar a data com ações simbólicas” para demonstrar a sua “revolta e indignação” e reivindicar a conclusão do processo negocial até ao fim do ano.

Os técnicos exigem que “o Governo reponha a justiça e equidade” apresentando propostas com transições que preencham “todas as categorias e uma grelha salarial que tenha os referenciais e impulsos salariais de outras carreiras especiais da Administração Pública com a mesma exigência habilitacional e profissional”.

Os TSDT são constituídos por 18 profissões e abrangem áreas como as Análises Clínicas, a Radiologia, a Fisioterapia, a Farmácia, a Cardiopneumologia, entre muitas outras, num total de cerca de 10 mil profissionais em exercício nos serviços públicos de saúde.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais