17 Mai, 2017

Sol e trabalho ao ar livre: saber conviver para não ter cancros da pele e não envelhecer

No âmbito do Dia do Euromelanoma, Dia dos Cancros de Pele, que este ano, em Portugal, celebra-se a 17 de maio, a Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC) lança um conjunto de vários folhetos informativos e de alerta para os riscos da exposição solar intensiva e abusiva e a sua relação direta com o cancro cutâneo, especialmente o melanoma

Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo

As atividades profissionais ao ar livre requerem cuidados redobrados em relação à exposição solar, durante todo o ano.

Sempre que possível opte por executar as suas tarefas em horas em que a nossa sombra é maior que nós próprios.

Idealmente no início ou final do dia. Maior cuidado nos dias de vento, nevoeiro e naqueles em que os UV estão elevados (www.ipma.pt).

Tente criar condições de sombra na área em que está a trabalhar. Use estruturas de não tecido ou tecido compacto, não poroso e de dimensões adequadas. Cuidado com as superfícies refletoras (relva, cimento, areia e água refletem os UV). A maioria dos vidros protege dos UVB mas não dos UVA (atenção ao local de trabalho ou se conduz muitas horas em horário de UV elevado).

Use sempre chapéu (de preferência de abas largas), se possível óculos escuros, vestuário adequado que proteja o pescoço, decote, braços, antebraços e pernas. Se o tecido não for poroso a cor é indiferente, para tecidos porosos as cores escuras protegem mais dos UV. Na pele exposta utilize um protetor solar, de índice de proteção solar elevado (SPF≥30).

Quanto mais fluído for o protetor mais vezes tem que renovar. Renove se molhou ou transpirou.

As pessoas de pele clara, olho claro, sardentos, que queimam facilmente e têm dificuldade em ficar morenos, necessitam de cuidados redobrados. No entanto, o ser moreno e não ficar vermelho não é sinónimo de estar seguro.

Proteja-se adequadamente se toma medicamentos fotossensibilizantes.

A pele memoriza as agressões pelo Sol ao longo da vida. O excesso de exposição ao Sol e sobretudo as vermelhidões ou queimaduras solares são fator de risco significativo para vir a ter mais queratoses actínicas, carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma, para além de envelhecer precocemente a sua pele.

Faça o autoexame da pele com regularidade (pelo menos de dois em dois meses).

Se tiver qualquer dúvida em relação a um sinal que surgiu ou modificou não hesite em consultar o seu médico e se necessário o seu dermatologista.

Esteja atento à sua pele, não ignore um sinal que se modificou.

Saiba mais aqui.

Logo_apcc

ler mais

RECENTES

ler mais