28 Set, 2018

Sindicato dos Médicos acusa Santa Maria de boicotar formação de médicos internos

Os médicos internos de cinco especialidades que escolheram o Hospital de Santa Maria para realizarem a sua formação estão a ser forçados à prestação de serviços de urgência, o que está a negligenciar a sua formação especializada, diz o Sindicato Independente dos Médicos (SIM).

Em comunicado, o SIM alerta que os médicos em formação nas áreas de Endocrinologia e Nutrição, Hematologia Clínica, Imunoalergologia, Oncologia Médica e Reumatologia estão alocados às urgências 24 horas por semana (num total de 40 horas), o que configura uma “clara desconformidade com o previsto no regime jurídico do internato médico”.

“Esta situação compromete e reduz a carga horária alocada aos estágios específicos (nomeadamente da respetiva especialidade em que se encontram em formação), introduzindo disparidade face aos restantes locais de formação”, refere o sindicato, acrescentando que esta situação “agrava ainda a dificuldade de acesso dos doentes a cuidados destas especialidades, ao diminuir, por exemplo, o tempo alocado pelos internos à consulta”.

O SIM acusa o Hospital de Santa Maria de “colocar internos de outras especialidades como carne para canhão a baixo custo, comprometendo de forma clara a formação dos mesmos” e critica o Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Lisboa Norte, Carlos Martins, assim como “a Diretora Clínica Dra. Margarida Lucas, a Diretora do Serviço de Urgência Dra. Anabela Oliveira e os Diretores dos respectivos serviços”. “Em breve contamos que apareçam (novamente)  na comunicação social muito espantados e indignados por a Ordem dos Médicos ter retirado a idoneidade ao Santa Maria para formar médicos destas especialidades”, conclui o sindicato.

Saúde Online

ler mais

RECENTES

ler mais