Sindicato dos enfermeiros pede inspeção a horários no Hospital de Viana

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) pediu hoje uma inspeção pela Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) de Viana do Castelo aos horários de trabalho prestados por aqueles profissionais na Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM)

A medida deve-se, segundo a dirigente nacional do Sindicato de Enfermeiros Portugueses (SEP), Guadalupe Simões, ao agravamento das condições de trabalho dos enfermeiros, que na sua perspetiva decorre de alguma inércia do conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Allto Minho (ULSAM).

Acrescentou também que, um levantamento recente do sindicato demonstrou que estão em dívida aos enfermeiros cerca de 27.000 horas de trabalho já efetuado.

A responsável, que falava hoje, no final de uma reunião com o diretor local da ACT, adiantou que “a carência de enfermeiros determina, por exemplo, que, em alguns serviços, de medicina não existam, neste momento, condições para elaborar os horários com o número de enfermeiros necessários.

“Esta situação obriga a que os enfermeiros tenham que fazer turnos seguidos no sentido de garantir a prestação de cuidados aos utentes. Temos o caso de um enfermeiro a quem estão a dever cerca 400 horas”, frisou.

Questionado pela Lusa, o diretor da delegação da ACT do Alto Minho, Joaquim Silva, disse que vai iniciar um processo inspetivo “para acompanhamento do caso”.

“Procuraremos ver o que é possível fazer para resolver esta situação que se prende essencialmente com a organização dos tempos de trabalho”, afirmou.

LUSA/SO/CS

ler mais
target="_blank"

RECENTES

target="_blank"
ler mais