6 Set, 2018

Seis pessoas ainda hospitalizadas devido a cólera na Argélia

Seis doentes com cólera encontram-se hospitalizados na Argélia, entre 74 pessoas afetadas por uma epidemia declarada em 07 de agosto, avançou o Ministério da Saúde argelino esta quarta-feira.

Entretanto, foi levantada em França uma suspeita de cólera num avião oriundo do país. As autoridades sanitárias argelinas não anunciaram qualquer outro caso de cólera na última semana e, na segunda-feira, o ministro da Saúde disse que a epidemia, que causou duas mortes, estava “controlada”.

Esta quarta-feira à noite, análises realizadas em França descartaram a presença de cólera numa criança, passageira de um voo que aterrou de manhã em Perpignan (sul de França), proveniente de Oran (oeste da Argélia) e que apresentava sintomas.

Cerca de 100 passageiros e elementos da tripulação foram retidos a bordo por pouco mais de uma hora para uma “desinfeção das mãos”. Mais nenhum caso de cólera foi registado na região de Oran, situada a cerca de 400 quilómetros dos principais focos da epidemia.

O surto afetou essencialmente Argel e duas regiões limítrofes (Blida e Tipaza) e de forma parcial outras três regiões em redor (cinco casos no total).

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o período de incubação da cólera pode levar até cinco dias, mas que o vírus responsável pela doença pode permanecer até dez dias em portadores saudáveis.

O Ministério da Saúde anunciou também hoje que o vírus da cólera foi detetado em Oued Beni Azza, um rio que nasce nas montanhas de Blida (50 quilómetros a sul de Argel), que atravessa a cidade – a quinta do país, com cerca de 300.000 habitantes – e uma parte da região com o mesmo nome.

Junta-se em seguida a Oued Mazafran, que marca o limite administrativo entre as regiões de Tipaza e Argel, ao longo de 20 quilómetros, antes de desaguar no Mediterrâneo. Antes desta epidemia, os últimos casos, isolados, de cólera na Argélia remontam a 1996.

A cólera é uma infeção gastrointestinal aguda, caracterizada por diarreia, náuseas e vómitos. A infeção é causada pelo consumo de água ou alimentos contaminados.

LUSA/SO

ler mais

RECENTES

ler mais