7 Jan, 2022

SARS-CoV-2 poderá infetar 3,5 milhões de portugueses até final de março

Tendência de subida do número de novos casos será difícil de conter, devido ao aumento dos contactos e pela redução do período de isolamento.

Pelo menos um terço da população nacional (3,5 milhões) deverá ter estado infetada com o novo coronavírus até ao fim do mês de março, prevê o investigador da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Carlos Antunes, em estimativas avançadas ao jornal i.

Tendo em conta a atual trajetória da pandemia e o nível de contágios esperado ao longo deste inverno – resultado da maior transmissibilidade da variante Ómicron -, mantém-se uma tendência de aumento do número de infeções, a qual será difícil de conter, pela observação do aumento do número de contactos e pela redução do período de isolamento e quarentena.

Embora a proteção vacinal e a menor severidade da variante antevejam menos hospitalizações, os números podem implicar, ainda assim, uma pressão significativa nos cuidados de saúde primários, nomeadamente médicos de família e saúde pública, mas também em termos de absentismo.

Neste momento, o número de casos ativos e pessoas em isolamento é o mais elevado desde o início da pandemia. O país deverá ultrapassar hoje a barreira dos 250 mil casos ativos, número ao qual se juntam os mais de 200 mil contactos em vigilância, de acordo com o balanço da Direção-Geral da Saúde (DGS), o que corresponde a um total de 450 mil pessoas isoladas.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais