Projeto para tornar hospital de Santa Maria mais ecológico continua à espera de autorização das Finanças

Candidatura a fundos europeus da primeira fase do projeto, que pretende reduzir o gasto energético da unidade hospitalar, foi aprovada mas projeto continua parado à espera da comparticipação nacional, que tem de ser autorizada pelo Ministério das Finanças.

A administração do Hospital de Santa Maria (em Lisboa), o maior do país, tem a ambição de pôr em marcha um projeto, dividido em dez objetivos, que permita colocar este hospital na lista dos 45 “green hospitals” certificados a nível mundial. O projeto, que conta com um investimento total de 25 milhões de euros, já recebeu luz verde para ser financiado com fundos europeus mas, avança o Expresso, está parado há mais de um ano à espera da autorização do Ministério das Finanças, que tem de libertar a comparticipação nacional de 5%.

Um dos principais objetivos do projeto é reduzir os gastos energéticos da unidade hospitalar. Está prevista a substituição da caixilharia de milhares de janelas, portas e lâmpadas (que deverão ser LED), bem como a instalação de painéis solares para o aquecimento da água e também para a produção de energia elétrica. O presidente do Conselho de Administração do Centro Hospital de Lisboa Norte, Carlos Martins, estima que estas mudanças permitam reduzir os consumos atuais em 44%, gerando uma poupança de um milhão de euros/ano na fatura energética.

Trata-se da primeira fase do projeto e está orçada em 15,9 milhões de euros, sendo que 95% deste montante é suportado por fundos comunitários, mais concretamente, pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR). Carlos Martins critica, ao Expresso, o facto de o Ministério das Finanças ainda não ter libertado os 5% correspondentes à comparticipação nacional: “Não ser recompensado com uma autorização é um cenário completamente contrário à política do Governo de promover boas práticas ambientais e a eficiência energética”.

Na segunda fase do projeto, avaliada em 10 milhões de euros e que ainda vai ser submetida a concurso, está previsto um aumento da frota de veículos híbridos e elétricos, a utilização de materiais que reduzam os impactos do volume de ruído provocado pela passagem de aviões e a criação de mais espaços verdes no complexo hospitalar. O projeto vai ser apresentado hoje na conferência “Green Hospital – O Futuro é Hoje”, onde estará presente a secretária de Estado da Saúde Rosa Valente de Matos.

Saúde Online

ler mais

RECENTES

ler mais