26 Nov, 2018

Portugal recebe 1.ª Edição do FÓRUM Diplomacia da Saúde para discussão da Saúde Pública e Global

Portugal recebe hoje, pela primeira vez, o FÓRUM Diplomacia da Saúde. O Saúde Online esteve à conversa com o médico Francisco Pavão, um dos organizadores do evento.

Trata-se de uma iniciativa que procura integrar e aprofundar os conceitos de Saúde Global e Diplomacia da Saúde, com a valorização de competências e capacitação de profissionais do setor em relações internacionais, economia e de políticas públicas. Serão, por isso, abordadas as negociações que moldam as políticas de saúde a nível global, como a gestão e controlo de epidemias e também o impacto das alterações clínicas na saúde.

“Para termos profissionais competentes na diplomacia da saúde, precisamos de os treinar. E o treino obriga a que se conheça os conceitos da saúde global, o que a saúde global trata – tem uma agenda enorme, que tanto pode pender para as doenças infeciosas, para o combate às doenças crónicas e às doenças negligenciáveis, para as relações bilaterais entre os países europeus no contexto da saúde”, explica o Dr. Francisco Pavão, médico especialista em Saúde Pública e um dos organizadores do evento, em declarações ao Saúde Online.

Este ano foi aprovado em Conselho de Ministros um despacho que nomeia um alto-comissário para a saúde global. “Isto é uma oportunidade única de portugal se posicionar nas agendas internacionais e na sua agenda interna, naquilo que são os desafios da saúde global. Está previsto, inclusive, um grupo interministerial para criar um plano de ação para a saúde global”, avança Francisco Pavão.

Deste modo, acredita o médico, “há oportunidade para a criação de um gabinete de saúde global em Portugal, como já acontece noutros países, que têm técnicos específicos a trabalhar nestes gabinetes”.

O evento, que terá lugar na Reitoria da Universidade do Porto e que conta com o apoio da MSD, vai reunir uma lista privilegiada de oradores com experiência na área da Saúde e da Diplomacia. Entre os convidados de honra, estão confirmados: José Martins Nunes, Alto Comissário para a Saúde Global, Eurico Castro Alves, Presidente da Comissão Organizadora da Convenção Nacional de Saúde, e Miguel Guimarães, Bastonário da Ordem dos Médicos.

“A agenda de Portugal ao nível das relações internacionais é coordenada pela Direção Geral de Saúde e, depois, as várias instituições da saúde (sejam públicas ou privadas) têm a sua agenda pessoal. Ou seja, as faculdades e os hospitais têm a sua própria agenda de internacionalização. Portanto, um dos objetivos é que estas instituições comecem a ter uma agenda comum e comecem a promover Portugal nas áreas da investigação, inovação, formação de profissionais e também nas políticas públicas que possam servir de exemplo para outros países”, acrescenta Francisco Pavão.

A 1ª edição do FÓRUM Diplomacia na Saúde terá uma forte componente formativa. Todos os participantes terão oportunidade de assistir a uma conversa-debate entre três embaixadores: Hélder Vaz (Embaixador da Guiné Bissau), Petr Selepa (Embaixador da República-Checa) e Freitas Ferraz (Embaixador e Diretor do Instituto Diplomático). A 1.ª edição deste Fórum termina com uma maratona de desenvolvimento de proposta para a criação do primeiro Gabinete de Saúde Global em Portugal.

Programa:

08:30 – 09:40 | Pequeno-almoço de trabalho

09:40 – 11:10 | A Formação em Saúde na Carreira Diplomática

11:30 – 12:30 | Negociação em Saúde

13:30 – 15:00 | Relações Internacionais e Ciência Política

15:00 – 16:30 | Sessão Académica: Saúde Global, Diplomacia da Saúde e Cooperação Internacional

16:45 – 20:00 | Gabinete de Saúde Global

20:30 – 22:30 | Jantar e apresentação das conclusões dos grupos de trabalho do Gabinete de Saúde Global

 

Para mais informações, consulte o site www.forumdiplomaciasaude.pt.

Saúde Online / Comunicado

ler mais

RECENTES

ler mais