4 Jul, 2017

Petição para reabertura da Urgência de Espinho já está no Parlamento

O Movimento de Utentes da Saúde de Espinho (MUSE) já entregou no Parlamento a petição com 9.924 assinaturas, apelando à reabertura da Urgência local e sublinhou que apenas o PCP e o PS ouviram os seus argumentos

Em comunicado, a estrutura cívica promotora do abaixo-assinado refere que a entrega da petição foi acompanhada pelo PCP e pelo PS, sendo que os deputados comunistas manifestaram “solidariedade com a causa do MUSE e comprometeram-se a defendê-la em plenário com a apresentação de um projeto de resolução – algo que garante que a questão será votada”. Já o PS “disse igualmente estar solidário” com a reivindicação do movimento cívico, mas adiantou que ainda “estudaria como atuar”.

Quanto aos restantes partidos representados no Parlamento, o comunicado do MUSE sublinha que “nenhum se dignou a comparecer”.

O MUSE apela à população que “não desarme” e anuncia que tentará “criar condições para que o maior número de espinhenses possa assistir ao debate na Assembleia da República, como forma de pressão”.

A carta que o movimento dirige à presidência da Assembleia da República recorda que o Serviço de Urgência Básica do Hospital de Nossa Senhora da Ajuda, em Espinho, foi encerrado em 2007, o que vem prejudicando a comunidade local no acesso a cuidados de saúde.

“Os habitantes do concelho necessitam de se deslocar mais de uma dezena de quilómetros e, em muitos casos, pagam portagem de autoestrada para terem acesso a uma das urgências mais congestionadas do país – o Hospital Santos Silva, em Vila Nova de Gaia”, lamenta o MUSE nesse documento.

O movimento reclama a reabertura da Urgência de Espinho por defender que esses constrangimentos representam uma situação “incompreensível” quando “os cidadãos de Espinho têm à sua disposição uma infraestrutura montada, equipada e disponível para prestar esse serviço Básico”.

LUSA/SO/SF

 

 

ler mais

RECENTES

ler mais