21 Mai, 2019

Personalização da estimulação ovárica pode potenciar uma gravidez de sucesso

Tema foi debatido num simpósio no âmbito do 7º Congresso de Medicina de Reprodução, organizado pela Sociedade Portuguesa de Medicina de Reprodução (SPMR) que decorreu entre 8 a 11 de maio, no Palácio da Bolsa.

O Simpósio sobre a Importância da Individualização da Estimulação Ovárica inseriu-se dentro do programa do 7º Congresso de Medicina de Reprodução e os temas em análise foram: “Otimização da obtenção de ovócitos para a redução do tempo necessário para obter uma gravidez de sucesso” e “Guia para a suplementação com LH na fertilização in vitro”. A abordagem destes temas ficou a cargo dos oradores convidados, especialistas internacionais na área da Fertilidade, Dr. Sandro Esteves e Dr. Shahar Kol.

Como principais conclusões discutidas destacam-se:

  • Otimização da escolha da dose inicial de rFSH, com a possibilidade de adaptar a dose durante o ciclo, é um passo fundamental para melhorar o número de ovócitos obtidos  e minimizar  riscos como a síndrome de hiperestimulação ovárica e o cancelamento do ciclo;
  • O aumento do número de ovócitos obtidos é uma oportunidade para ter mais embriões euploides com um efeito positivo na implantação e CLBR (taxa de nascimento ao vivo cumulativa);
  • Os critérios de Poseidon oferecem a possibilidade de refinar a estratificação da doente por idade, número de ovócitos a obter e biomarcadores de reserva ovárica;
  • Cerca de 25% das doentes tratadas com o protocolo antagonista respondem com alta frequência e podem beneficiar da suplementação com rLH;
  • A suplementação com LH recombinante deve ser individualizada de acordo com as abordagens de tratamento de cada doente;

No encerramento desta sétima edição do congresso decorreu também a atribuição dos Prémios de Investigação SPMR, que contam com o apoio da Merck, onde foi distinguido melhor trabalho de Investigação Básico/ Laboratorial.

ler mais
target="_blank"

RECENTES

target="_blank"
ler mais