15 Abr, 2020

Pediatra Maria do Céu Machado alerta para risco de agravamento da obesidade

A pediatra alerta também para um possível aumento dos problemas mentais entre crianças e adolescentes confinados em casa, sublinhando que os pais devem estar atentos.

“Os pais têm de estar muito atentos a alterações, a transformações no estado de humor”, afirmou, assinalando que estas alterações, se forem persistentes, podem ser sinais de problemas de saúde mental, que começam a manifestar-se nas crianças entre os 5 e os 10 anos. E deu o exemplo da depressão e da bipolaridade.

Maria do Céu Machado, que participou numa videoconferência promovida pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, admitiu que num “período de confinamento pode haver agravamento dos problemas de saúde mental” nas crianças e nos jovens.

Um “risco de agravamento” que estendeu à obesidade, devido à falta da prática de exercício físico em casa e a uma alimentação desregrada e tendencialmente mais açucarada.

A pediatra sugeriu que os pais tenham “mais cuidados com a alimentação” e promovam o “exercício físico em família”, em casa ou no exterior, numa saída à rua para “dar uma volta”.

Maria do Céu Machado foi a única participante na videoconferência dedicada ao tema “Crianças e adolescentes fechados em casa”, que decorreu no âmbito do ciclo de conversas digitais “O país que se segue”.

SO/LUSA

 

[box] Notícias Relacionadas:

Liraglutido demonstrou melhorias no IMC e no peso em adolescentes com obesidade

São resultados do estudo de fase 3, publicados pelo New England Journal of Medicine, que avaliou e investigou o uso de liraglutido 3.0 mg em adolescentes com obesidade.

Obesidade. “É incompreensível. Estamos a negar o tratamento”

A presidente da SPEO critica a falta de comparticipação dos fármacos para combater a obesidade e defende o aumento do número de consultas

São João quadruplica em um ano número de consultas de obesidade

O Centro Hospitalar Universitário de São João quadruplicou o número de primeiras consultas através da criação do Centro de Responsabilidade Integrado.

Obesidade abdominal ligada a ataques cardíacos recorrentes

Estudo revela que os sobreviventes de enfarte agudo do miocárdio com excesso de gordura abdominal correm maior risco de evento cardiovascular major.

[/box]
ler mais

RECENTES

ler mais