12 Jun, 2017

Novas salas de cirurgia e de hemodinâmica para o Hospital de Évora

O Hospital do Espírito Santo de Évora vai avançar com a construção de duas novas salas de cirurgia e uma de hemodinâmica para aumentar a sua capacidade de resposta, revelou a presidente da unidade

As futuras salas “funcionarão, fundamentalmente, para cirurgia de ambulatório” e visam “aumentar o acesso e a qualidade de atendimento”, afirmou à agência Lusa a presidente do conselho de administração do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), Maria Filomena Mendes.

A ampliação do bloco operatório, cujo arranque da construção está previsto para o final deste ano ou início de 2018, vai ocupar um pré-fabricado, que será instalado junto ao atual edifício da unidade hospitalar.

A presidente do conselho de administração do HESE adiantou que está a ser preparada uma candidatura a fundos comunitários para financiar o projeto, indicando que os encargos serão “essencialmente em equipamentos”.

Segundo a responsável as obras de construção do novo Hospital Central de Évora terão uma duração de três ou quatro anos, mas há de manter o atual com capacidade de resposta à população.

Maria Filomena Mendes considerou que o HESE tem “poucas salas” de cirurgia, precisando que as atuais cinco, onde são realizadas mais de 14 mil intervenções cirúrgicas por ano, “estão rentabilizadas ao máximo”.

“Chegamos a operar ao sábado e até já operámos ao domingo, mas, mesmo assim, não conseguimos dar resposta à lista de espera”, vincou, realçando, contudo, a “enorme eficiência de trabalho” dos profissionais de saúde.

A responsável realçou que o hospital vai também aumentar a capacidade de resposta na área da cirurgia vascular com a criação de uma nova sala de hemodinâmica, que se junta a uma outra já existente e onde são feitas mais de 600 angioplastias por ano.

“Precisávamos de ter uma nova sala de hemodinâmica para oferecer cuidados mais diferenciados e atender a população na área cardiovascular, mas também, eventualmente, tratar doentes com acidentes vasculares cerebrais”, assinalou.

O Governo prevê lançar este ano o concurso para a construção do novo Hospital Central de Évora, após decidir o seu modelo de financiamento, segundo disse, em outubro de 2016, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

Na altura, o governante indicou que era necessário “estabilizar o modelo de financiamento” da nova unidade hospitalar, adiantando que a decisão do Governo ia ser tomada até ao primeiro semestre de 2017.

LUSA/SO/CS

ler mais

RECENTES

ler mais