15 Mar, 2022

Movimento cria página que apoia pessoas com incontinências

“A incontinência tem consequências absolutamente devastadoras para a vida dos afetados, que muitas das vezes não pedem ajuda por vergonha”, alerta a presidente do movimento.

Para assinalar o Dia Mundial da Incontinência Urinária – que se assinala a 14 de março -, o Movimento Continência e Disfunção Pélvica anunciou o lançamento oficial da sua página na rede social Facebook, que tem como objetivo dar visibilidade aos problemas associados à falta de continência e disfunção do pavimento pélvico.

“A incontinência tem consequências absolutamente devastadoras para a vida dos afetados, que muitas das vezes não pedem ajuda por vergonha”, alerta a presidente do movimento, Joana Oliveira. “A nossa missão passa por contribuir para a melhoria das condições de vida dos doentes que sofram de incontinência e disfunções do pavimento pélvico, nomeadamente no que se refere à integração social e comunitária”, diz.

“Queremos ser a voz dos doentes e ser ouvidos pela sociedade e pelos poderes políticos, incentivando ainda à alteração da lei de incapacidade”, reforça, ao acrescentar que é fundamental criar visibilidade para os problemas associados à perda de continência e disfunção do pavimento pélvico ao encorajar o debate público e aberto e a quebra de estigma e tabus associados a estas doenças.

Segundo defende o movimento, a solução para contrariar os efeitos da pandemia passa agora por quebrar o tabu e a vergonha ligados a este problema, incentivando os doentes a consultar o médico. É crucial alertar a população para as consequências da incontinência urinária quando não é diagnosticada e devidamente tratada. Esta tem tratamento em 85% dos casos”, explica, ainda, a respetiva presidente.

ler mais

RECENTES

ler mais